rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Burkina Faso Atentado

Publicado em • Modificado em

Ataques simultâneos em Burkina Faso podem ter matado 30 pessoas

media
Dois homens fogem durante ataque ao Estado Maior do Exército em Uagadugu, Burkina Faso. ougou le 2 mars 2018. REUTERS/Anne Mimault

A capital do Burkina Faso foi alvo de um ataque terrorista na manhã desta sexta-feira (2). Os alvos dos atentados foram a embaixada da França e o prédio do Estado-Maior das Forças Armadas.


Fábia Belém, correspondente da RFI em Uagadugu

 

Pelos relatos de testemunhas, a ação dos terroristas teria começado por volta das 10h em Uagadugu, capital do Burkina Faso (7h em Brasília). Os ataques foram simultâneos: um contra a embaixada da França e o outro visou a sede das Forças Armadas. Os dois prédios ficam distantes pouco mais de 1 km um do outro.

 

O Serviço de Informação do Governo confirmou que 8 terroristas foram abatidos, 7 membros das forças de segurança morreram e 6 pessoas ficaram feridas, entre civis e militares. No entanto, fontes disseram à Agence France Presse que ao menos 28 pessoas foram mortas no ataque ao prédio do Estado-Maior das Forças Armadas e outras 50 ficaram feridas. O governo burquinabê abriu um centro médico de emergência no Estádio Municipal de Uagadugu para socorrer as vítimas.

 

O ataque contra a embaixada francesa foi frustrado. Os terroristas tentaram, mas não conseguiram entrar no prédio. Segundo o ministro das Relações Exteriores da França, Jean Yves le Drian, a situação na embaixada só foi controlada no início da tarde. Já o atentado ao edifício do Estado Maior das Forças Armadas acabou somente no fim da tarde.

 

Além de calma, o governo burquinabê pediu que a população evite circular na região dos ataques e que se mantenha vigilante.

 

O Ministério Público de Paris declarou que abriu investigação por tentativa de assassinatos terroristas. De acordo com o governo da França, não há franceses entre as vítimas dos atentados.

 

Brasileiros em Uagadugu

Cerca de 50 brasileiros vivem no país. Deste número, 15 estão na capital. Assim que soube dos ataques, a embaixadora do Brasil no Burkina Faso, Regina Bittencourt, divulgou uma mensagem no Facebook pedindo à comunidade brasileira que não fosse ao centro da capital. Muitos telefonaram para a Embaixada para dar notícias. “Estavam muito preocupados”, afirmou a embaixadora.

Ao falar dos ataques, Bittencourt disse que “É muito inquietante e triste, porque é uma situação que está se deteriorando”. Ela classificou de “ousada” a ação dos terroristas, já que “Os dois lugares que escolheram tinham capacidade para responder aos ataques”.

Ainda não está claro quem pode estar por trás dos atentados desta sexta-feira em Ougadugu.

 

Ataques de 2016 e 2017

 

Em agosto do ano passado um ataque terrorista a um café situado no centro de Uagadugu deixou 18 mortos. No ano anterior, em janeiro de 2016, terroristas ligados à al-Qaeda atacaram um hotel e um café, também na capital do Burkina Faso, matando 30 pessoas de 18 nacionalidades diferentes.