rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

África do Sul Assistência médica Líder Nelson Mandela

Publicado em • Modificado em

Nelson Mandela é internado mas "passa bem", segundo próximos

media
Mandela em uma das suas últimas aparições em público, em junho de 2010. REUTERS/Siphiwe Sibeko/Files

O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, 93 anos, foi hospitalizado neste sábado em função de "queixas de longas dores abdominais", mas “está bem”, conforme o governo do país e seus familiares. De acordo com um comunicado divulgado pela presidência sul-africana, o ícone da luta antiapartheid passará por um tratamento médico, mas os detalhes não foram informados.


“Madiba [como ele é chamado no país] reclama há muito tempo de dores abdominais e os médicos avaliaram que ele precisava de uma atenção médica especializada”, acrescenta o texto. “Não posso fazer mais comentários, mas posso assegurar que o ex-presidente está com um bom moral e vai bem”, disse o presidente Jacob Zuma, prometendo manter a população informada sobre o estado de saúde do ex-líder.

O nome do hospital onde Mandela foi internado foi mantido em sigilo. Jornalistas foram afastados de dois estabelecimentos de Joanesburgo e Pretória.

O porta-voz do partido de Zuma, Congresso Nacional Africano, desmentiu rumores segundo os quais Mandela se submeteria a uma cirurgia. “Não foi uma internação de urgência. Estava previsto, afirmou Keith Khoza. Não precisa se preocupar. Não há nenhuma operação.

A neta do prêmio Nobel da Paz, Ndileka, também não parecia preocupada com a saúde do avô. “Não é nada demais. Ele está em perfeita saúde. Quando eu o vi, na quarta-feira, ele estava bem. Não estou preocupada”, disse a jornalistas. A esposa de “Madiba”, Graça, está ao lado dele no hospital, contou a neta.

No ano passado, Mandela assustou os sul-africanos ao ser internado por diversos dias para tratar de uma infecção respiratória aguda. A última vez que ele foi visto em público foi na Copa do Mundo de 2010, realizada em seu país, quando acenou brevemente de um carrinho de golfe. Desde então, ele não tem aparecido em público, passando o tempo entre Johanesburgo e a aldeia de Qunu, no Cabo Oriental.

Primeiro presidente negro da África do Sul, Mandela ocupa uma posição central em um país que foi governado pela minoria branca de 10% até as primeiras eleições interraciais, em 1994.