rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Bashar al-Assad ONU Primavera Árabe Síria Violência

Publicado em • Modificado em

Representante da ONU visita bairro rebelde de Homs pela primeira vez

media
Valérie Amos (e), chefe das atividades humanitárias da ONU, ao lado do chefe da diplomacia síria, Walid el-Moualem (d), em Damasco. Reuters/Sana

Valérie Amos, chefe das atividades humanitárias das Nações Unidas, entrou nessa quarta-feira no bairro de Baba Amr, em Homs, na Síria, acompanhada da ONG Crescente Vermelho. Essa é a primeira vez que organizações internacionais visitam a região, tomada pelas forças armadas após ter sido bombardeada durante semanas pelo regime sírio. Segundo a emissária, as ruas estavam "completamente devastadas". 


As organizações internacionais esperavam há cinco dias para poder levar ajuda ao distrito de Baba Amr, uma das regiões mais sensíveis da cidade de Homs, bastião da revolta contra o presidente sírio Bachar al-Assad. De acordo com o porta-voz da Cruz Vermelha, Hicham Hassan, a chefe das atividades humanitárias da ONU, Valérie Amos, “entrou com uma equipe de voluntários do Crescente Vermelho sírio, que ficou 45 minutos no bairro”.

Ainda segundo a Cruz Vermelha, a representante das Nações Unidas encontrou as ruas vazias. “Eles descobriram o que nós sabíamos desde o início, ou seja, que os moradores de Baba Amr fugiram do bairro durante os combates”, explicou Saleh Dabbakeh, outro porta-voz da organização humanitária.

Valérie Amos realiza uma visita de dois dias à Síria. Ela desembarcou nessa quarta-feira na capital Damasco, onde se encontrou com o ministro sírio das Relações Exteriores, Walid el-Moualem, antes de viajar para Homs.

Enquanto isso a violência continua no resto do país. Pelo menos 19 pessoas foram mortas pelo exército sírio, sete delas na província de Idlib, no noroeste.