rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Crise Desemprego Emprego/trabalho Jovem OIT

Publicado em • Modificado em

Desemprego entre jovens vai continuar alto até 2018, prevê OIT

media
Sala de espera de uma agência de empregos em Burgos, norte da Espanha REUTERS/Felix Ordonez

Um estudo da Organização Internacional do Trabalho publicado nesta quarta-feira indica que o índice de desemprego entre jovens de 15 a 24 anos vai piorar nos próximos anos. A taxa, de 12,3% em 2013 deve ser 12,8% em 2018, segundo as projeções da OIT.


Este ano, mais de 73 milhões de jovens ficarão sem trabalho, segundo a OIT, um aumento de 3,5 milhões de pessoas desde 2007, e de 800 mil desde 2011, de acordo com o relatório “Tendências mundiais do emprego de jovens”.

Globalmente, entre 2012 e 2018, o número de jovens desempregados deverá aumentar em mais de 2 milhões, o que equivale a um aumento de quase 25%. “Em 2018, o índice de desemprego dos jovens deverá ficar em torno de 12,8% com disparidades regionais crescentes”, prevêem os especialistas da OIT.

Os especialistas estimam que as economias avançadas devem registrar  “melhorias”  que serão compensadas pela degradação da situação, em outras regiões, principalmente na Ásia. “Um dos aspectos mais impressionantes é a desconfiança das jovens gerações atuais em relação aos sistemas políticos e sócio-econômicos”, estima a OIT.

"Parte dessa desconfiança se expressa através de manifestações políticas, como os movimentos anti-austeridade na Grécia ou Espanha”, onde desempregados representam mais da metade dos jovens da faixa economicamente ativa.

A OIT, que tem sede em Genebra, se mostra particularmente preocupada quanto a situação atual em três regiões – as economias desenvolvidas e a União Europeia, o Oriente Médio e o norte da África – onde o desemprego entre os jovens aumentou muito a partir de 2008.

Nas economias desenvolvidas e na União Europeia, o desemprego entre os jovens cresceu e atingiu 24,9% entre 2008 e 2012. Na América Latina e no Caribe, o índice de desemprego deve aumentar de 12,9% em 2012 para 13,6% em 2018.