rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Tufão Supertufão Haiyan Filipinas Morte

Publicado em • Modificado em

Balanço oficial de mortos supera 3.600 vítimas nas Filipinas

media
Policiais e voluntários depositam corpos em uma fossa comum em Tacloban City. REUTERS/Edgar Su

O governo filipino informou nesta sexta-feira que o tufão Haiyan deixou 3.621 mortos no país, segundo o último balanço oficial. Esse número de vítimas é inferior às estimativas da ONU, que calculam 4.460 mortos, bem abaixo das 10 mil vítimas inicialmente evocadas.


Hoje, o prefeito de Tacloban, Alfred Romualdez, voltou a insistir que a tragédia supera as estimativas divulgadas pelo presidente Benigno Aquino. Segundo o prefeito, por causa das ondas gigantes, milhares de corpos podem ter sido levados para o oceano. O prefeito também afirmou que um dos principais bairros da cidade está praticamente deserto. Nesse local, moravam 12 mil pessoas.

A comunidade internacional tenta acelerar os esforços para levar ajuda humanitária aos sobreviventes do tufão. Com a chegada ontem do porta-aviões americano George Washington, e de equipes do Reino Unido e do Japão, a distribuição de alimentos, água potável e barracas deve melhorar a partir de hoje.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, disse que a situação nas Filipinas é "desastrosa". A ONU estima que o país precisa de US$ 301 milhões de ajuda internacional.