rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

China Foguete Lua Nave Espacial Rússia

Publicado em • Modificado em

Rússia reforma setor espacial para enfrentar concorrentes como a China

media
Lançamento de foguete na Agência Espacial Nacional Russa, a Roscosmos. http://www.roscosmos.ru/

A maioria das empresas da indústria espacial russa vai ser reunida em uma holding pública. Esta é uma das medidas previstas na reforma anunciada por um decreto presidencial publicado nesta segunda-feira para reabilitar o setor depois de uma série de fracassos. A Rússia enfrenta cada vez mais a concorrência da China, que acabou de lançar uma missão à Lua.


O texto assinado pelo presidente Vladimir Putin oficializa a criação de uma “companhia espacial unificada”, encarregada da produção, entrega e da manutenção de tecnologias espaciais, inclusive para clientes estrangeiros, bem como de encomendas de componentes para o exterior.

O decreto determina um prazo de dois anos para sua aplicação. A formação da holding foi anunciada há vários meses para garantir uma uniformidade à uma indústria totalmente dispersada e enfraquecida por diversos fprojetos mal sucedidos.

O último deles foi a explosão do foguete Próton durante a decolagem no dia 2 de julho do cosmódromo de Baikonour, no Casaquistão, considerado humilhante para o programa espacial russo.

Até a formação oficial da nova holding espacial, o ex-chefão do Avtovaz, o primeiro construtor automotivo da Rússia, Igor Komarov, foi nomeado número 2 da Roscosmos, a agência espacial russa. Ele será encarregado de dirigir essa reforma.

Em abril, o presidente Vladimir Putin anunciou que o governo iria investir 40 bilhões de euros em seus programas espaciais até 2020 para retomar o prestígio de um setor que registrou muitos sucessos durante a União Soviética, mas que com a queda do império soviético, sofreu muito cortes de recursos comprometendo suas atividades.

China

O setor espacial russo enfrenta ainda a concorrência de atores como a China no cenário espacial. Neste domingo, os chineses deram um importante passo no seu ambicioso projeto espacial ao lançar um foguete em direção à Lua transportando um veículo de exploração teleguiado, chamado de “Coelho de Jade”.

O lançador Longa Marcha decolou em meio a uma nuvem de poeira por volta da 01h30 pelo horário local da base de lançamento de satélites de Xichang, no sudoeste do país. As imagens foram transmitidas ao vivo pela tevê pública CCTV. O responsável da base, Zhang Zhenzhong, qualificou o lançamento de “um sucesso”.

O objetivo da missão Chang’e-3 é fazer um “pouso suave”, na Lua e se tornar o terceiro país do mundo, depois dos Estados Unidos e .Rússia a conseguir tal feito.

O ”Coelho de Jade” é um veículo que pesa 120 quilos e deve aterrissar em solo lunar na metade de dezembro.