rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Iraque Jihadista Ataques cristãos Igreja Terrorismo Exôdo

Publicado em • Modificado em

Avanço jihadista provoca êxodo de cristãos no norte do Iraque

media
Os atos de violência no Iraque já deixaram 1.737 iraquianos mortos e outros 1.978 feridos. REUTERS/Rodi Said

Os jihadistas tomaram nesta quinta-feira (7) a cidade de Karakoch, a maior cidade cristã do Iraque. A invasão provocou a fuga de milhares de pessoas e levou as autoridades ortodoxas da Caldeia a pedir ajuda à comunidade internacional. A França pediu uma reunião no Conselho de Segurança da ONU


Os combatentes do Estado Islâmico do Iraque chegaram à cidade à noite, depois da retirada das tropas curdas, segundo os habitantes de Karakoch. De acordo com o patriarca da igreja Caldeia Louis Sako, os jihadistas iniciaram o ataque na quarta-feira. Cerca de 100 000 cristãos foram expulsos "apenas com a roupa do corpo", segundo ele. "É um desastre humanitário", declarou. De acordo com outra versão, os habitantes fugiram antes da chegada dos extremistas.

Os insurgentes ocupam as igrejas, onde derrubaram as cruzes e destruíram mais de 1500 manuscritos."Hoje lançamos um apelo, com muita dor e tristeza, ao Conselho de Segurança da ONU, à União Europeia e às organizações humanitárias, para que ajudem as pessoas que correm risco de vida", insistiu o patriarca, temendo um genocídio’’.

França pede reunião no Conselho de Segurança da ONU

Em Roma, o papa Francisco lançou um apelo para que a comunidade internacional proteja a população em fuga para o norte do Iraque. A França também pediu nesta quinta-feira uma reunião de emergência no Conselho de Segurança da ONU diante da ameaça terrorista no norte Iraque e do avanço das tropas jihadistas.

"A França está preocupada com os últimos avanços do Estado Islâmico do Iraque, no norte do país, pela tomada de Karakoch, a maior cidade cristã do Iraque, e pelas violências cometidas contra a população", declarou chanceler francês Laurent Fabius em um comunicado.

"Diante da gravidade dessa situação, da qual a população civil é vítima, a França pede uma reunião de emergência no Conselho de Segurança da ONU para que a comunidade internacional se mobilize contra a ameaça terrorista no Iraque e proteja a população que está sendo ameaçada." Segundo testemunhas, os jihadistas também invadiram outras três cidades no norte do Iraque, entre elas Tel Kaif.