rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Iêmen Arábia Saudita Milícias ofensiva militar

Publicado em • Modificado em

Coalizão liderada pela Arábia Saudita anuncia fim de ofensiva no Iêmen

media
Sawarma, na fronteira da Arábia Saudita com o Iêmen era uma das zonas vigiadas durante a ofensiva da coalizão. Clarence Rodriguez/RFI

A Arábia Saudita anunciou nesta terça-feira (21) o fim da ofensiva aérea lançada contra a progressão das milícias houthis no Iêmen. No entanto, a coalizão liderada por Riad pretende iniciar uma nova fase de operações para impedir que os rebeldes se desloquem no país. O bloqueio marítimo também deve ser mantido.


De acordo com uma declaração transmitida pelo canal de televisão Al Arabia e a agência oficial de notícias SPA, a operação “Tempestade decisiva”, lançada pelos aliados sunitas, que bombardeiam desde 26 de março os rebeldes houthis, terminou. A coalizão estima ter alcançado os objetivos militares da ofensiva. Segundo o texto, o grupo eliminou a “ameaça contra a Arábia Saudita e os países vizinhos”.

No entanto, a coalizão pretende continuar impedindo que as milícias e seus partidários, fieis ao ex-presidente iemenita Ali Abdallah Saleh, continuem se deslocando no país. Além disso, mesmo se os bombardeiros foram oficialmente suspensos, a intervenção militar prossegue, desta vez com outro nome.

Batizada de “Restaurar a esperança”, a nova operação será focada na segurança, na luta contra o terrorismo e na busca de uma solução política para a situação no Iêmen, segundo o general Ahmed Asseri, porta-voz do exército saudita.

A coalizão militar tem a participação de nove países árabes. De acordo com números divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pelo menos 944 pessoas morreram e 3487, entre civis e militares, ficaram feridas desde o início das tensões, no dia 19 de março.