rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Kuwait Atentado Mesquita sunitas Grupo Estado Islâmico

Publicado em • Modificado em

Ao menos 25 morreram em ataque do grupo Estado Islâmico no Kuwait

media
Mesquita Al Imam al Sadeq após o ataque suicida REUTERS

Ao menos 25 pessoas morreram nesta sexta-feira (26) em um atentado reivindicado pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI) contra uma mesquita xiita na Cidade do Kuwait. O ataque foi realizado durante a grande oração na mesquita Al Imam al Sadeq na segunda sexta-feira do mês de jejum sagrado do Ramadã. Havia mais de duas mil pessoas no local.


Em um comunicado, o grupo Província de Najd, que se manifestou recentemente como a facção saudita do EI, afirmou que um homem-bomba, Abu Suleiman al Muwahhid, realizou o atentado contra uma mesquita "que promovia o ensinamento xiita entre a população sunita". Segundo as equipes de socorro, além dos 25 mortos, várias pessoas foram hospitalizadas. O Província de Najd reivindicou em maio dois atentados contra xiitas na Arábia Saudita.

Esse foi o primeiro atentado suicida contra uma mesquita xiita no pequeno país do golfo Pérsico. O grupo EI já havia atacado duas mesquitas na Arábia Saudita. Na última terça-feira (23), a facção exortou os seus partidários a intensificar os ataques durante o mês do ramadã contra os sunitas que se recusem a apoiar o jihadismo e contra os cristãos e os xiitas.

Jovem de 20 anos

O deputado Khalil al Salih, que se encontrava na mesquita no momento do ataque, contou que os fiéis estavam rezando quando o terrorista detonou os explosivos. O teto e as paredes caíram. "Era um jovem, de cerca de 20 anos", afirmou o político. "A explosão foi verdadeiramente violenta."

O ministro da Justiça, Yaqoub Al Sanea, condenou o ataque, que "ameaça a segurança do país e visa desestruturar a sua unidade". "O Kuwait permanecerá um oásis de paz para todas as classes da sociedade e todos os grupos religiosos. O governo tomou medidas necessárias para garantir a segurança das mesquitas e dos locais de culto", disse.