rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Incêndio China Explosão Química Fogo

Publicado em • Modificado em

Explosão que matou ao menos 50 na China teve impacto igual a terremoto

media
Prédios e carros destruídos perto do local das explosões em Tianjin, na China, nesta quinta-feira, 13 de agosto de 2015. REUTERS/Jason Lee

Pelo menos 50 pessoas morreram e mais de 700 ficaram feridas após uma explosão nesta quarta-feira (12) em um armazém de produtos inflamáveis da cidade portuária de Tianjin, no norte da China. Uma nuvem gigantesca de fumaça e poeira tomou conta da região.


Luiza Duarte, correspondente da RFI Brasil em Hong Kong

A violenta explosão destruiu um armazém de uma empresa de logística de produtos químicos, Tianjin Dongjiang Port Rui Hai International Logistics. A televisão estatal chinesa afirma que o incêndio começou em um carregamento de explosivos.

Moradores da região ouviram duas detonações seguidas. A segunda delas teve o impacto de 21 toneladas de dinamite ou de um terremoto de 2.9 graus, de acordo com o Centro Chinês de Vigilância de Terremotos. O céu foi iluminado pelo fogo, que atingiu prédios e carros.

A força das explosões arrancou portas e janelas de imóveis a quilômetros do local. Uma nuvem densa de fumaça atravessa a cidade, que tem 15 milhões de habitantes e fica a cerca de 150km da capital, Pequim. Vídeos publicados na rede social chinesa Weibo mostram uma enorme bola de fogo que se eleva no céu e pelo menos duas explosões em separado.

Pouco acesso à informação

A AFP obteve fotos que mostram moradores de Tianjin correndo por ruas repletas de escombros. Em fotos difundidas na Weibo, pessoas caminham sem rumo cobertas de sangue pelas ruas, mas a veracidade das imagens não pôde ser confirmada até o momento.

Pelo menos 520 pessoas estão sendo atendidas em hospitais, mais de 60 delas em estado grave. O trabalho dos bombeiros foi suspenso na manhã desta quinta-feira (13), devido à dúvida sobre a presença de materiais perigosos no local.

Governo diz ter prendido responsáveis

Jornalistas locais e estrangeiros tiveram acesso negado à área e alguns foram obrigados a apagarem fotos que mostrassem a destruição. De acordo com a imprensa estatal chinesa, os responsáveis pela empresa foram detidos pelas autoridades. A causa do acidente ainda é desconhecida.

O presidente chinês, Xi Jinping, exigiu uma investigação sobre o ocorrido e a punição severa dos responsáveis. Segundo o canal CCTV, Xi Jinping, determinou o emprego de "todos os recursos possíveis para socorrer as vítimas e extinguir o incêndio".

Tianjin é uma das maiores cidades do país, com quase 15 milhões de habitantes. Polo industrial e um dos principais portos do norte da China, é uma das quatro cidades do país com status de província, ao lado de Pequim, Xangai e Chongqing.

Segurança duvidosa

As normas de segurança nos complexos industriais na China não são cumpridas rigorosamente, já que muitos proprietários preferem economizar pagando inspetores corruptos. Em julho, 15 pessoas morreram e mais de dez ficaram feridas em uma explosão em um depósito ilegal de fogos de artifício na província de Hebei, no norte da China. Em agosto de 2014, ao menos 71 pessoas morreram na explosão de uma fábrica de autopeças em Kunshan, na região de Xangai.

Com informações AFP