rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Acordo do Brexit recebe apoio preliminar do Parlamento britânico

Israel Autoridade Palestina Violência John Kerry Benjamin Netanyahu

Publicado em • Modificado em

John Kerry afirma apoio americano a Israel diante de onda de ataques palestinos

media
O Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, e o presidente israelense, Reuven Rivlin, durante coletiva à imprensa em Jerusalém, nesta terça-feira, 24 de novembro de 2015. REUTERS/Jacquelyn

O secretário de Estado americano, Jonh Kerry, chegou na manhã desta terça-feira (24) a Israel para uma visita que vai levá-lo também aos territórios palestinos com o objetivo de conter o atual ciclo de violência na região. Durante reunião com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, em Jerusalém, ele condenou com veemência os ataques palestinos e afirmou o apoio dos Estados Unidos a Israel.


John Kerry declarou que "ninguém deve viver cotidianamente com a violência e esses atos terroristas que matam inocentes merecem uma condenação total'.O secretário de Estado americano discutiu com o primeiro-ministro israelense medidas que podem ser tomadas para acabar com a violência. Eles também abordaram a cooperação no setor de segurança entre as autoridades israelenses e palestinas.

Após o encontro com Netanyahu, Kerry se reuniu com o presidente israelense Reuven Rivlin e manifestou sua indignação com essa onda de violência que vitimou vários judeus americanos ou com dupla nacionalidade, israelo-americana. O secretário de Estado evocou a memória de Ezra Schwartz, natural do Massachusetts como ele,  morto em um  atentado na última quinta-feira (19). "Israel não tem somente o direito de se defender, mas a obrigação".

Duas semanas após a visita de Netanyahu a Washington, as declaraçéoes de Kerry indicam que a grave crise nas relações bilaterais dos últimos meses é coisa do passado. A condenação dos atos como "terroristas" parece se dirigir às autoridades palestinas e ao presidente Mahmoud Abbas, com quem o secretário de Estado se encontra no final do dia, em Ramallah, na Cisjordânia. Abbas censura os assassinatos de civis, mas não condenou os recentes ataques anti-israelenses, apontando a política do governo de Netanyahu como responsável por essa nova escalada da violência.

Novo ataque

No momento em que Kerry aterrissava em Tel Aviv, três israelenses ficaram feridos em uma estrada ao sul de Nablus, na Cisjordânia ocupada, depois de serem atropelados por um carro. O motorista palestino foi "neutralizado", anunciou a polícia israelense, sem revelar o estado de saúde do agressor.

O ataque foi o mais recente de uma longa série de agressões contra israelenses, principalmente com faca, iniciada em 1º de outubro. Desde então, os confrontos provocaram a morte de 92 palestinos, um árabe israelense, 17 israelenses, um americano e um cidadão da Eritreia.