rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Astronauta Órbita Terrestre Nave Espacial

Publicado em • Modificado em

Nasa dará US$30 mil para melhor projeto para astronautas "irem ao banheiro"

media
A vida dos astronautas no espaço apresenta dificuldades no cotidiano, entre elas, ir ao banheiro Flickr/ Creative Commons NASA

A Nasa lançou um concurso para incentivar inventores a resolver um problema incômodo da vida no espaço: como astronautas podem fazer suas necessidades vitais vestidos com seus trajes pesados, e com outros membros da tripulação ao redor? Propostas podem ser enviadas até 20 de dezembro.

 


A Nasa - a Agência espacial americana - abriu um concurso para premiar o melhor projeto de um sistema pessoal de drenagem de dejetos, sem o uso das mãos, por um período até seis dias. "A antiga solução disponível consiste em fraldas, no entanto, a fralda é apenas uma solução temporária, e não é uma opção saudável e protetora com duração de mais de um dia", diz o texto do concurso

Às vezes, os astronautas precisam esperar mais tempo para se aliviar. Os dois homens e uma mulher que embarcaram na nave Soyuz, por exemplo, demoraram dois dias inteiros entre o lançamento do foguete, no Cazaquistão, e a chegada à Estação Espacial Internacional (ISS), na órbita terrestre. A Soyuz é equipada com um banheiro portátil, que lembra um jarro propulsionado a ar.

Nas futuras missões espaciais, como as planejadas a um asteróide e a Marte, a Nasa avalia que serão necessárias 144 horas ou seis dias para que a tripulação possa acessar um banheiro decente. Em situações de emergência, os astronautas podem precisar vestir trajes pressurizados completos, além de capacetes e luvas. "Depois de vestidos, é impossível para os astronautas acessar o próprio corpo, até mesmo para coçar o nariz", informa a Nasa.

A China enviou em junho deste ano a sua primeira mulher astronauta ao espaço.

Nasa aposta em inventores para resolver o problema

E é aí que os inventores entram. Astronautas precisam de uma solução para se livrar de urina, fezes e sangue menstrual de forma eficiente ou ficariam expostos a infecções. O problema é que na ausência de gravidade, os fluidos podem aderir a superfícies, enquanto os sólidos flutuam no ar.  "Ninguém vai querer nenhum desses sólidos e fluidos presos no seu corpo por seis dias", acrescentou a Nasa, lembrando como é fácil para bebês ficarem assados.

Uma vez dentro da estação orbital, os astronautas usam um banheiro que inclui um sistema a vácuo e um tubo que ajuda a expelir a matéria fecal. Para urinar, eles usam um funil preso a uma mangueira, que pode ser adaptado para as posições sentado ou em pé, e usam o ar para remover a urina.

A Nasa promete distribuir até três prêmios de US$ 30 mil aos sistemas mais promissores de manejo de dejetos usáveis. O objetivo é testá-los dentro de um ano e implementá-los em até três anos. As primeiras missões tripuladas a Marte podem ser lançadas em 2030, segundo previsão da Nasa.