rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Coreia do Norte Kim Jong-Un Kim Jong-il Donald Trump Conflito China Míssil Nuclear

Publicado em • Modificado em

China alerta para “conflito iminente” na Coreia do Norte

media
Oficiais militares norte-coreanos visitaram nesta sexta-feira (14) o local de nascimento de seu primeiro líder, Kim Il-sung, avô de Kim Jong-Un. REUTERS/Damir Sagolj

A China advertiu nesta sexta-feira (14) que "um conflito pode acontecer a qualquer momento" na Coreia do Norte. Pyongyang ameaça realizar este fim de semana um outro teste nuclear. O país é alvo de ameaças do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.


"O diálogo é o único caminho", insistiu nesta sexta-feira (14) o chanceler chinês Wang Yi durante coletiva de imprensa em Pequim com seu homólogo francês, Jean-Marc Ayrault.

A Rússia se declarou "muito preocupada" com a situação e exortou todas as partes à "retenção" do conflito e advertiu contra "qualquer ação que poderia ser interpretada como uma provocação."

Donald Trump prometeu quinta-feira (13) que o "problema" da Coreia do Norte seria "tratado" de acordo. Trump anunciou o envio do porta-aviões Carl Vinson para a península coreana, escoltado por três navios lança-mísseis, e evocou uma "armada" militar, incluindo submarinos.

O porta-aviões transporta geralmente entre 70 e 80 aviões e helicópteros, incluindo cerca de cinquenta aeronaves de combate.

A resposta norte-coreana: "pronta para a guerra"

A Coreia do Norte prometeu responder ao anúncio de Trump, que classificou como uma expedição "tola", e se declarou “pronta para a guerra".

"Temos a sensação de que um conflito poderia entrar em erupção a qualquer momento. Eu acho que todas as partes envolvidas devem estar altamente vigilantes em vista desta situação", defendeu o chanceler chinês. “Qualquer um que deflagrar um conflito na península coreana "assumirá uma responsabilidade histórica" e "deverá pagar o preço", alertou.

De acordo com muitos analistas, a Coreia do Norte poderia lançar um novo míssil balístico ou mesmo realizar um novo teste nuclear neste sábado (15), para celebrar o 105º aniversário do nascimento de Kim Il-sung, o primeiro líder do país. Ambas as possibilidades são estritamente proibidas pela comunidade internacional.