rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Desabamento Sri Lanka Lixo Pobreza

Publicado em • Modificado em

Desabamento de montanha de lixo no Sri Lanka já fez dezenas de mortos

media
Equipes de resgate atuaram durante todo o fim de semana na esperança de encontrar sobreviventes REUTERS/Dinuka Liyanawatte

 O balanço de vítimas do desabamento de uma montanha de lixo no Sri Lanka subiu para 29 mortos nesta segunda-feira (17). A catástrofe aconteceu na sexta-feira (14), mas as equipes de socorro continuam em busca de desaparecidos no bairro vizinho ao lixão.


Sem muitas esperanças, centenas de soldados trabalhavam em Kolonnawa, cidade da periferia da capital Colombo, em busca de sobreviventes entre as 145 casas destruídas pela avalanche de lixo. Além dos corpos já encontrados, pelo menos sete pessoas continuam desaparecidas.

A montanha de lixo de 91 metros de altura, desestabilizada pelas fortes chuvas e por um incêndio, desabou no momento em que o país celebrava o tradicional Ano Novo cingalês tâmil.

As autoridades levaram temporariamente 1.700 moradores para escolas próximas, à espera de uma solução de transferência permanente. Os efetivos da polícia foram reforçados para prevenir saques na região da catástrofe. No total, 18 pessoas já foram presas suspeitas de terem roubado bens materiais das vítimas.

Moradores já haviam alertado para o risco de desabamento

Os moradores da área denunciaram várias vezes os problemas provocados por este lixão ao ar livre. O local acumula 23 milhões de toneladas de dejetos e todos os dias recebe mais 800 toneladas.

O Parlamento do Sri Lanka havia sido alertado para o risco que o depósito de lixo representava para a saúde da população. O primeiro-ministro, Ranil Wickremesinghe, que estava em visita ao Japão na hora da catástrofe, declarou que medidas seriam tomadas para retirar essa montanha de lixo da região, mas que seu deslizamento aconteceu antes das operações.