rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • UE impõe à Google multa recorde de € 2,4 bilhões por abuso de poder dominante

Religião Rússia Proibição

Publicado em • Modificado em

Supremo Tribunal russo proíbe Testemunhas de Jeová

media
Supremo Tribunal russo proíbe Testemunhas de Jeová Reuters

As Testemunhas de Jeová foram proibidas de atuar na Rússia e seus bens serão confiscados, após a decisão nesta quinta-feira (20) do Supremo Tribunal, que considerou a organização religiosa como extremista.


O líder russo da religião, Iaroslav Sivoulski, declarou estar "chocado" com a decisão e anunciou que vai apelar. "Não pensava que algo assim poderia acontecer na Rússia moderna, onde a Constituição garante a liberdade de religião", disse.

O Ministério da Justiça havia entrado com uma ação no Supremo Tribunal afirmando que as Testemunhas de Jeová "são uma ameaça para os direitos das pessoas e para a ordem e a segurança públicas".

O juiz Yury Ivanenko disse na sentença que a organização "deverá entregar à Federação russa suas propriedades".

O grupo religioso possui 395 centros em todo o país e já travou várias disputas com as autoridades nos últimos anos.

Em janeiro, o líder da religião na cidade de Dzerzhinsk foi multado por distribuir material considerado extremista pelas autoridades.

O governo russo dissolveu em 2004 um ramo da organização, uma decisão que a Corte Europeia de Direitos Humanos considerou, em 2010, uma violação aos direitos de religião e de associação.