rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Coreia do Norte China EUA

Publicado em • Modificado em

China pede moderação na tensão entre Coreia do Norte e EUA

media
O líder norte-coreano, Kim Jong-un, pode ordenar nova demonstração de força. REUTERS/Damir Sagolj

O presidente chinês, Xi Jinping, pediu "moderação" após uma conversa telefônica sobre a Coreia do Norte com o presidente americano Donald Trump, poucos dias antes da chegada de um porta-aviões dos Estados Unidos à península coreana.


"China pede moderação às partes relevantes e que evitem ações que aumentem a tensão na península coreana", afirmou Xi, de acordo com o canal estatal CCTV.

A conversa entre Xi e Trump coincide com um período de elevada tensão entre Coreia do Norte e Estados Unidos.
Trump prometeu há alguns dias solucionar o "problema" do programa nuclear norte-coreano e anunciou o envio do porta-aviões "USS Carl Vinson" para a península coreana. A Coreia do Norte ameaçou responder a qualquer ataque americano.

Pyongyang pode realizar novo teste

O regime comunista norte-coreano pode executar na terça-feira (25) um novo teste nuclear ou balístico, por ocasião do aniversário de 85 anos da fundação do exército do país. "A única maneira de resolver a questão nuclear norte-coreana o mais rápido possível e de conseguir a desnuclearização da península é que cada parte assuma sua responsabilidade", afirmou Xi a Trump.

Essa foi a segunda conversa telefônica entre os dois líderes desde uma reunião, no início de abril, na residência do presidente americano na Flórida. Washington considera Pequim o principal apoio econômico de Pyongyang e que, portanto, tem grande influência sobre o regime.

Crise afeta Japão

Mas a China rejeita a análise e repete que o conflito afeta principalmente Estados Unidos e Coreia do Norte, que precisam dialogar. Donald Trump também conversou nesta segunda-feira com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, sobre a situação na Coreia.

Abe disse à imprensa que recordou a Trump que o programa nuclear e balístico norte-coreano representa uma "ameaça extremamente grave para o Japão e a para a comunidade internacional". O chefe de governo japonês celebrou o fato de a administração Trump ter declarado que "todas as opções estão sobre a mesa", em relação a Pyongyang.

Aumenta procura por abrigos no Japão

As vendas de abrigos antiatômicos e de purificadores de ar antirradiação aumentaram nas últimas semanas no Japão em plena escalada da tensão entre Pyongyang e Washington.

Uma pequena empresa especializada na construção de abrigos sob domicílios de particulares em geral, registrou oito encomendas em abril, enquanto normalmente são seis por ano.