rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Brasil/Itália : Bolsonaro afirma que vai extraditar italiano Cesare Battisti se for eleito

Indonésia LGBT Punição

Publicado em • Modificado em

Gays são punidos com espancamento público na Indonésia

media
Na Indonésia um tribunal puniu dois homens com espancamento público por terem mantido relações sexuais. REUTERS/Beawiharta

Dois indonésios foram espancados com bastões em público na província de Banda Aceh, nesta terça-feira (23), como pena por manter relações homossexuais. A maioria da população da Indonésia é muçulmana e cresce a intolerância contra a pequena comunidade LGBT no país.


Os condenados, de 20 e 23 anos, declarados culpados por terem desrespeitado a rígida lei islâmica em Aceh, foram espancados com um bastão 83 vezes cada um, diante de um público que se manifestava com gritos e vaias. A pena, originalmente de 85 golpes, teve dois a menos pelo tempo que os réus já cumpriram em detenção.

Os dois homens, que não tiveram a identidade revelada, estavam vestidos de branco e eram espancados por carrascos vestidos de túnicas marrom e máscaras com fendas para os olhos. Antes da punição pública, Abdul Gani Isa, integrante do conselho religioso de Aceh, disse à multidão que o espancamento “era uma lição pública”.

Os bastões são feitos de vime e geralmente não provocam ferimentos graves. O castigo tem por objetivo principalmente a humilhação pública dos condenados.

Prazeres mundanos são proibidos

O casal foi surpreendido na cama no mês de março por um grupo de justiceiros na pensão onde viviam em Banda Aceh, e entregues à polícia. Aceh é a única das 33 províncias da Indonésia autorizada a aplicar a sharia, a lei islâmica. Apostar, beber álcool ou cometer adultério também são punidos.

A província de Aceh começou a aplicar a sharia depois que o governo central de Jacarta lhe concedeu o status de autonomia em 2001, com o objetivo de colocar fim a várias décadas de rebelião separatista.