rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Afeganistão Atentado Cabul Vítimas Morte

Publicado em • Modificado em

Atentado no Afeganistão deixa pelo menos 26 mortos

media
Carro-bomba mata 24 e deixa 42 feridos no Afeganistão REUTERS/Omar Sobhani

A explosão de um carro-bomba nesta segunda-feira (24) no bairro de maioria xiita de Cabul deixou pelo menos 40 feridos. O anúncio foi feito pelo porta-voz da presidência afegão, Shah Hussain Murtazawi durante uma coletiva de imprensa.


De acordo com o porta-voz do Ministério do Interior, Najib Danish, "o carro-bomba foi lançado contra um ônibus que transportava funcionários do Ministério de Minas", declarou Danish à AFP. O atentado foi cometido pouco antes das 7h, horário local, perto da residência de Mohamed Moqaqeq, líder da comunidade xiita hazara e membro do Parlamento.

O porta-voz de Moqaqeq, Omid Maisom, afirmou que a explosão ocorreu “em frente ao primeiro posto de controle da residência de Moqaqeq, deixando mortos e feridos entre os guardas e os civis".

Região sob tensão

Nesta segunda-feira (24), a comunidade hazara lembra o aniversário, segundo o calendário religioso, do atentado contra uma manifestação de milhares de seus membros, em 23 de julho de 2016. Na época, 84 pessoas morreram e mais de 300 ficaram feridas nesse que foi o primeiro ataque reivindicado pelo Estado Islâmico (EI) no centro da capital afegã.

Desde então, o grupo extremista vem ganhando terreno no norte do Afeganistão, atacando várias vezes os xiitas do país. Entre os atentados, está o que foi lançado em Mazar-i-Sharif, em outubro passado, durante a Ashura, a principal festividade religiosa da comunidade.

Ataque em hospital

O porta-voz da presidência afegã Murtazawi também acusou os talibãs de terem incendiado neste domingo (23) um hospital na província de Ghor, no centro do país, e de ter matado pelo menos 35 civis, incluindo enfermeiros e médicos. os talibãs, que tomaram o distrito de Taywara, desmentiram o ataque o hospital e acusaram as forças americanas e do governo. Segundo eles, o local foi atingido por um ataque aereo.