rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Honduras Eleições Voto

Publicado em • Modificado em

Honduras: oposição lidera apuração dos votos nas eleições presidenciais

media
O candidato opositor esquerdista Salvador Nasralla lidara as eleições em Honduras, com 45,17% dos votos, contra 40,21% do presidente Juan Orlando Hernández, anunciou na madrugada desta segunda-feira o Tribunal Supremo Eleitoral (TSE). REUTERS/Jorge Cabrera

Contrariando as previsões, o candidato Salvador Nasralla, da oposição, lidera a apuração dos votos das eleições presidenciais que aconteceram em Honduras neste domingo (26), superando o atual presidente Juan Orlando Hernández, que tenta a reeleição. Os primeiros resultados parciais foram divulgados nesta segunda-feira (27).


O primeiro boletim do Tribunal Supremo Eleitoral (TSE), divulgado 10 horas após o fim da votação e com 57% das urnas apuradas, mostra Nasralla com 45,17% dos votos, contra 40,21% de Hernández, tido como favorito. Seis milhões de hondurenhos foram às urnas neste domingo.

Durante a madrugada, os dois candidatos reivindicaram a vitória. O processo eleitoral foi marcado pela polêmica candidatura de Hernández à reeleição, proibida pela Constituição e que foi possível apenas graças a uma decisão do tribunal constitucional. Com os primeiros resultados, a situação parece mudar.

Resultado ainda pode mudar

Pouco depois do TSE, Hernández enviou uma mensagem de áudio aos seguidores ressaltando justamente que o resultado não é final. "O dado do tribunal não é conclusivo porque registra apenas os resultados das principais cidades do país, isto representa apenas 20% dos votos. Os 80% restantes nos favorecem e temos que ser cuidadosos, pacientes e levar o processo até o fim", disse Hernández, de 49 anos.

O esquerdista Nasralla, no entanto, insistiu na vantagem sobre Hernández. "Como a tendência não muda, posso dizer a vocês que sou o novo presidente de Honduras", afirmou eufórico Nasralla, ao lado do ex-presidente Manuel Zelaya, destituído em 2009 e coordenador da coalizão opositora.

Ao todo, nove candidatos disputaram a presidência, mas segundo as pesquisas só três tinham chances de vitória. Além de Hernández e Nasralla, o outro candidato de peso era o acadêmico Luis Zelaya do Partido Liberal (PL, direita), que aparece com 13,77% dos votos no primeiro boletim do TSE. Nasralla e Zelaya alertaram que não reconheceriam uma reeleição de Hernández, por considerá-la inconstitucional.

Eleitores também escolhem deputados

Os hondurenhos também votaram para escolher 128 deputados, 298 autoridades municipais e 20 representantes do Parlamento Centro-Americano. O historiador e sociólogo Marvin Barahona, da Equipe de Reflexão, Pesquisa e Comunicação (ERIC), alertou que a possível reeleição de Hernández poderia despertar um clima de confronto no país.

"A candidatura de Juan Orlando Hernández não é apenas controversa, tem uma alta dose de ilegalidade, o que significa que os resultados podem provocar para mais confrontos, especialmente se eles beneficiarem o partido no poder, porque serão classificados por diversos setores como fraudulentos", opinou Barahona.

(Com informações da AFP)