rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Jerusalém Israel Faixa de Gaza Palestinos

Publicado em • Modificado em

Israel mata mais dois palestinos na faixa de Gaza

media
Já chega a 10 o número de palestinos mortos por soldados israelenses. REUTERS/Mohammed Salem

Duas pessoas morreram em novas manifestações contra o reconhecimento pelos Estados Unidos de Jerusalém como a capital de Israel nesta sexta-feira (22) nos territórios palestinos.


Zakaria Al Kafarneh, de 24 anos, e um outro homem ainda não identificado foram baleados por soldados israelenses na Faixa de Gaza, durante tumultos ao longo do muro que separa Israel do enclave palestino.

Trata-se do nono e do décimo palestinos mortos durante as manifestações desencadeada pela decisão americana anunciada em 6 de dezembro.

Seis palestinos ficaram feridos durante os protestos em que centenas de pessoas participaram em diferentes pontos do muro, segundo o ministério da Saúde de Gaza.

Um dos feridos estaria em estado gravíssimo, segundo o ministério.

Na Cisjordânia também

Dezenas de outros palestinos entraram em confronto com as forças israelenses na Cisjordânia ocupada, separada de Gaza pelo território israelense.

Ao menos 5 palestinos foram atingidos por balas reais, segundo o Crescente Vermelho.

Em Jerusalém, os incidentes permaneceram limitados em breves confrontos na Cidade Velha.

O Hamas, que governa o enclave palestino da Gaza, convocou um novo dia de protestos após a oração tradicional muçulmana da sexta-feira.

Reações a Trump

A decisão unilateral do presidente dos Estados Unidos Donald Trump de romper com décadas de diplomacia americana e internacional tem causado numerosas manifestações e distúrbios quase que diariamente nos territórios palestinos, deixando centenas de feridos e dezenas de detidos.

Também nesta sexta-feira, centenas de jordanianos manifestaram em frente à embaixada dos Estados Unidos em Amã, protegida por um forte esquema de segurança.

Os manifestantes exibiam cartazes declarando "Jerusalém capital eterna palestina", e entoaram palavras de ordem hostis ao presidente Trump.

(Com agência AFP)