rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Eleição presidencial Rússia Vladimir Putin Oposição Alexei Navalny

Publicado em • Modificado em

Navalny, opositor de Putin, recebe apoio de milhares em toda a Rússia

media
Apoiadores de Alexei Navalny, opositor do presidente russo Vladimir Putin, se reuniram em várias cidades do país, para dar suporte a sua possível candidatura presidencial, em 24 de dezembro de 2017. REUTERS/Maxim Shemetov

O principal opositor russo, Alexei Navalny, que espera desafiar o presidente Vladimir Putin nas eleições presidenciais de março de 2018, reuniu neste domingo (24) milhares de partidários em todo o país.  


De Vladivostok (extremo leste) a Rostov-on-Don (sudoeste), passando por Moscou e São Petersburgo (noroeste), partidários do carismático advogado e blogueiro anticorrupção, com tons às vezes nacionalistas, responderam ao seu chamado para defender sua candidatura. Apenas em Moscou, mais de 700 pessoas estavam reunidas na margem do rio Moscova.

"Estou muito feliz, estou orgulho de dizer que estou aqui como candidato para toda a Rússia", declarou Navalny a seus seguidores no ato na capital russa. "Estamos preparados para vencer e venceremos as eleições", afirmou.

Inelegível

A Comissão Eleitoral russa declarou em outubro Navalny inelegível até 2028, devido a uma condenação judicial por desvio de fundos públicos, um caso que o opositor considera armado para prejudicá-lo. "Quero garantir seu apoio!", escreveu Navalny no Twitter a seus seguidores no sábado.

"Vamos mostrar às autoridades que existem pessoas reais que desejam votar em seu candidato, enquanto as autoridades se valem apenas de recursos administrativos", incentivou, considerando que será "impossível nos impedir de participar nessas eleições".

Alexei Navalny, que foi condenado pela justiça em várias ocasiões e passou curtos períodos de detenção por manifestações não autorizadas, multiplicou nos últimos meses os comícios com seus eleitores. Ele deseja disputar as eleições presidenciais como um candidato autodesignado, mas para isso precisa ser apoiado por um grupo de pelo menos 500 eleitores para poder solicitar à Comissão Eleitoral Central sua inscrição na lista oficial de candidatos, conforme estabelecido pela lei russa.

Ao convocar comícios que reúnam 500 pessoas em 20 cidades russas, ele espera mostrar a amplitude do apoio que beneficia na Rússia e pressionar a Comissão Eleitoral para registrar sua candidatura, apesar da sua inelegibilidade. O próprio Navalny planeja participar da principal mobilização, em Moscou. Foi extremamente difícil encontrar lugares para alugar para o evento na capital russa, de acordo com ele.

Base leal

Alexei Navalny mantém sua campanha há meses, o que lhe permitiu estabelecer uma base leal de partidários, às vezes muito jovens, graças a vídeos virais que denunciam a corrupção das elites.Em março e junho também organizou protestos de uma escala sem precedentes desde as manifestações em 2011 e 2012, que resultaram em centenas de prisões.

Sua popularidade, no entanto, ainda está longe da de Vladimir Putin, aprovado por cerca de 80% dos russos, de acordo com as últimas pesquisas.

Putin, que chegou em 2000 à presidência de um país instável político e economicamente, é elogiado por muitos cidadãos russos por ter trazido prosperidade, principalmente graças ao petróleo, e por colocar a Rússia de volta no cenário internacional.

(Com informações da AFP)