rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Linha Direta
rss itunes

Na missa do Galo, Francisco relembra a crise dos migrantes

A missa do Galo no Vaticano é uma das celebrações mais importantes para os católicos. E neste Natal não foi diferente: como manda a tradição, a missa com o papa na Basílica de São Pedro teve grande participação. A crise migratória foi o tema principal.

Rafael Belincanta, correspondente da RFI em Roma

Na missa do Galo, o papa Francisco voltou a falar sobre solidariedade social e lembrou sua preocupação sobre a acolhida de migrantes, sobretudo na Europa. O papa defendeu uma nova “imaginação social” para contornar a crise migratória.

Em relação à Itália, Francisco convidou as autoridades e a sociedade em geral a trabalharem em parceria para evitar que os migrantes que chegam ao sul da Itália fiquem à margem da sociedade ou não consigam os documentos para alcançar os países para onde se destinavam, depois de atravessar o mar Mediterrâneo. Na maior parte das vezes, os migrantes preferem a França e a Alemanha, em vez de ficar na Itália.

Urbi et Orbi

Nesta segunda-feira, ao meio-dia, o papa concede a tradicional bênção para a cidade e para o mundo, conhecida como Urbi et Orbi. É o momento em que o papa recorda as situações de conflito que marcaram o ano que termina.

Francisco esteve recentemente em Mianmar, onde a perseguição da minoria muçulmana rohingya não dá trégua. O papa, porém, evitou falar diretamente sobre esta etnia para evitar mal-entendidos justamente no ano em que o Vaticano retomou as relações diplomáticas com Mianmar.

Em maio, por outro lado, o papa recebeu o presidente americano Donald Trump no Vaticano. Depois de toda a polêmica sobre o muro de Trump na fronteira com o México, outra vez a diplomacia falou mais alto, deixando de lado por alguns minutos as diferenças entre os dois líderes.

Próximas viagens

O pontífice voltará, em breve, à América do Sul. Será a terceira viagem do papa ao continente, depois de ter visitado recentemente a Colômbia, e anteriormente Paraguai, Bolívia, Equador e Brasil, em 2013. Desta vez, entre 15 e 22 de janeiro, o papa visitará o Chile e o Peru.

Nunca foi à Argentina

Logo depois de ser eleito, Jorge Mario Bergoglio recebeu em diversas ocasiões a ex-presidente Cristina Kirchner e, do mesmo modo, o presidente Mauricio Macri. Em todas as oportunidades, nunca houve uma confirmação de que ele iria à Argentina.

Enfim, o próprio papa já havia anunciado que seu pontificado seria breve, 5 ou 6 anos, no máximo. Levando em consideração que 2018 marca o início do sexto ano de Francisco à frente da Santa Sé, não é de se espantar se este novo ano que começa possa ser o último de Francisco como papa. E por que não imaginar que ele pode realizar uma última viagem justamente à sua terra natal, e com passagem só de ida a Buenos Aires?

Eleições na Turquia: quem são os cinco candidatos que vão enfrentar Erdogan?

Permissão para mulheres sauditas dirigirem pode impulsionar indústria automotiva

Argentina usará parte do empréstimo do FMI para conter escalada do dólar

Trump prefere jogar culpa nos democratas a assumir ônus da separação dos menores e seus pais

Candidato mais cotado à presidência da Colômbia coloca em risco acordo com as Farc

Londres: um ano após incêndio na Torre Grenfell, 68 famílias seguem sem moradia

Trump vai convencer Kim Jong-Un a abandonar o programa nuclear da Coreia do Norte?

Pipas incendiárias lançadas de Gaza destroem 20 km de plantações em Israel

Após queda de premiê, população mantém protestos na Jordânia contra austeridade

Restrições a importações de carros pode gerar guerra comercial entre Alemanha e EUA

Espanha: governo de Sánchez terá extrema-esquerda e partidos pró-independência

Governo de Rajoy é derrubado por moção de censura no Parlamento da Espanha

Veto contra lei da eutanásia em Portugal: nenhum partido quis pagar o ônus político de uma legalização

Itália: eleitores desaprovam rejeição do voto popular em escolha de chefe de governo

Espanha: um dos maiores casos de corrupção da Europa pode afastar Rajoy