rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Educação Marrocos Ensino

Publicado em • Modificado em

Marrocos vai aprovar lei que acaba com gratuidade no ensino superior

media
Universidade Internacional de Agadir, no Marrocos Universiapolis

O governo marroquino quer adotar uma lei que pode acabar definitivamente com a gratuidade do ensino superior público no país. De acordo com vários jornais nacionais, o texto, que não deve tardar a ser aprovado, vai “reformar o sistema de educação”.


Um responsável do Ministério da Educação, que pediu anonimato, disse que “taxas de inscrição serão instauradas no ensino superior público”.

As universidades marroquinas tiveram um aumento de 780 000 estudantes para 900 000 de 2016 a 2017. Boa parte dos universitários vem do oeste africano.

Gratuidade para quem?

O Conselho superior de Educação sugeriu em novembro do ano passado que as “famílias com maior renda se responsabilizem pelas taxas de inscrição”.

“A gratuidade não é uma brincadeira. As taxas de inscrição devem fazer com que os ricos parem de se aproveitar do sistema”, explicou a ex-ministra do Ensino Superior Lahcen Daoudi.

Sistema educacional em falência

Apesar dos 25% do orçamento nacional dedicados à Educação, o sistema educacional marroquino passa por vários problemas: salas de aula superlotadas, fechamento de diversas escolas, falta de professores e abandono escolar.

O Marrocos faz parte dos 25 países que menos avançam em termos de escolarização segundo a Unesco, com uma taxa de analfabetismo de cerca de 30%.