rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Taiwan Exposição Albert Einstein

Publicado em • Modificado em

Taiwan recebe exposição inédita sobre Einstein sob forte esquema de segurança

media
Uma exposição sobre Albert Einstein abre em Taiwan nesta sexta-feira, 12 de janeiro ARTHUR SASSE / UPI / AFP

Pela primeira vez, o manuscrito da teoria da relatividade e 75 peças de arquivos de Albert Einstein deixaram a Universidade Hebraica de Jerusalém em direção ao Extremo Oriente. De acordo com a universidade, os documentos foram emprestados para a exposição "Albert Einstein: uma vida em quatro dimensões", que será aberta nesta sexta-feira (12), na cidade de Taipei, em Taiwan.


Os pertences do cientista foram transferidos sob um forte esquema de segurança, que contou com carros blindados para evitar possíveis roubos. Dois anos de negociações foram necessários para a realização dessa preciosa mostra.

Entre os documentos expostos, estão a medalha do Prêmio Nobel de Física que o cientista recebeu em 1921, sua coleção de discos de vinil, e várias cartas que Einstein escreveu para Sigmund Freud, para seus amigos e para as mulheres que ele amou.

Legado do gênio

Albert Einstein foi um dos fundadores da Universidade Hebraica. Em seu testamento, ele deixou para a instituição o legado de todos os seus escritos, seu patrimônio intelectual, o direito de imagem, incluindo a famosa foto do físico com a língua para fora.
"Praticamente tudo o que é apresentado na mostra é autêntico, exceto o cachimbo centenário de Einstein, que é considerado muito frágil para ser transportado. Enviamos uma cópia", disse uma porta-voz da universidade à AFP.

A exposição fica em cartaz em Taiwan até 8 de abril, e depois segue para a China e Japão.
Algumas das peças da coleção Einstein já foram exibidas no exterior, como nas cidades americanas de Washington e Los Angeles. "Mas essa é a primeira vez que um acervo tão grande foi apresentado no exterior", acrescentou a porta-voz.

Einstein recusou uma possibilidade de se tornar o primeiro presidente do Estado de Israel. "Israel é intelectualmente vivo e interessante, mas tem possibilidades muito limitadas. Ir para lá com a intenção de sair na primeira oportunidade seria lamentável", explicou o físico em uma de suas cartas.
Einstein era um membro não-residente da Universidade Hebraica de Jerusalém até sua morte, em 1955.