rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Rússia Espaço

Publicado em • Modificado em

Rússia quer oferecer passeios no espaço por até US$ 100 milhões

media
A Rússia está planejando a criação de um hotel turístico no espaço. Foto módulos da estação Unity e Zarya facebook.com/ISS

A Rússia quer propor passeios turísticos no espaço daqui a alguns anos, com a intenção de fixar um preço inferior a US$ 100 milhões em viagens “confortáveis3. A informação foi dada por um responsável do setor espacial russo nesta quinta-feira (1°), em Moscou.


“Estamos estudando a possiblidade dessas saídas turísticas no cosmo”, anunciou Vladimir Solntsev, diretor da estatal Energia, que projeta e desenvolve veículos espaciais, em entrevista publicada pelo jornal Komsomolskaïa Pravda.

“As pesquisas de mercado confIrmam: há pessoas que pagariam até US$ 100 milhões por isso”, afirmou Solntsev. “Possivelmente menos para o primeiro turista”, acrescentou.

A empresa Energia, que participou do lançamento do primeiro homem no espaço – Yuri Gagarin, em 1961 -, está atualmente construindo um novo modelo chamado NEM-2, capaz de transportar turistas à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês).  

Boeing se interessa por parceria

Solntsev disse que NEM-2, cujo nome ainda precisa ser confirmado, vai acomodar de quatro a seis pessoas, em cabines “confortáveis”, dois toaletes e acesso à internet. Ele prevê que a operação possa acontecer em 2019 e declarou ainda que a americana Boeing estaria interessada em se tornar parceira do projeto.

O responsável russo disse que cinco a seis turistas por ano poderiam fazer viagens de até dez dias.

O setor de turismo espacial vem se desenvolvendo nos últimos anos por companhias como a americana Virgin Galactic, que divulgou em 2016 o projeto comercial SpaceShipTwo.

A Rússia enviou o canadense Guy Laliberte, fundador do Cirque du Soleil, ao espaço em 2009. O bilionário passou duas semanas na ISS. A empresária iraniana-americana Anousheh Ansari foi a primeira turista espacial, em 2006.