rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Síria Guerra Rússia

Publicado em • Modificado em

Rússia confirma morte de piloto de avião derrubado na Síria

media
Carcaça do avião russo abatido no sábado (3) por jihadistas em Idlib, norte da Síria. Reuters

Moscou confirmou na noite de sábado (3) a morte de um piloto russo na província de Idlib, no norte na Síria. O aparelho Soukhoï SU-25 sobrevoava a cidade de Maasran, quando foi derrubado por jihadistas.


Segundo o Ministério russo da Defesa, quando o avião foi atingido pelos disparos dos jihadistas, o piloto conseguiu se ejetar de paraquedas. Ao tocar o solo, foi cercado pelos rebeldes islâmicos, sacou sua arma e foi morto a tiros.

O governo russo afirma que o piloto foi abatido por combatentes da Frente al-Nosra, ligado à Al-Qaeda. Já a Ong Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) diz que não é possível confirmar a informação, reiterando que a região do incidente é dominada pelo grupo jihadista Hayat Tahrir al-Sham. A milícia reivindicou o ataque, mas não citou o piloto. 

De acordo com o o OSDH, a aeronave derrubada participava de um ataque da Rússia contra a região. "Houve dezenas de bombardeios russos naquela área nas últimas 24 horas. Esse avião era um dos que atacavam", explicou o diretor da Ong, Rami Abdel Rahmane. 

Ofensiva tenta retomar Idleb

Forças do regime sírio, apoiadas pela Rússia, lançaram uma vasta ofensiva, no fim de dezembro passado, para reconquistar a província de Idlib, região ainda dominada por rebeldes e grupos jihadistas. Grupos de insurgentes sírios conseguiram derrubar aviões do regime no passado, mas as aeronaves russas voam a altitudes superiores e são raramente atingidas. 

De acordo com moradores, os bombardeios russos deste fim de semana mataram ao menos cinco civis em Idlib e obrigaram milhares de pessoas a fugir da região. A população síria, que contesta o regime de Bashar al-Assad, considera a Rússia uma invasora e a culpa pela morte de milhares de civis desde que se aliou a Damasco, em 2015.