rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

China Pobreza Migrantes

Publicado em • Modificado em

Chinesa vende leite materno para pagar tratamento médico da filha

media
As imagens da jovem vendendo leite materno nas ruas de Shenzhen viralizaram nos sites chineses. Captura de vídeo / RFI

Uma jovem chinesa decidiu vender seu leite materno em uma praça de Shenzhen para poder pagar a hospitalização de uma das filhas. A história, que viralizou nos sites locais no final de janeiro, chamou a atenção para a falta de acesso ao sistema de saúde para milhões de pessoas na China.


Heike Schmidt, correspondente da RFI em Pequim

A mulher aparece em um vídeo ajoelhada, com um bebê no colo, vendendo por 100 yuans (pouco mais de R$ 50), “10 minutos de amamentação”. Ela explica que deu à luz gêmeas, mas que uma delas está hospitalizada. “Nós precisamos de dinheiro para pagar o tratamento. Como eu tenho muito leite, gostaria de vendê-lo”, relata a jovem. A imagem, postada no site “Miaopai”, foi vista por mais de 2 milhões de internautas.

Ao lado dela, seu marido explica o ato de desespero. “Eu devo milhares de yuans para o hospital. O médico me disse que tenho que pagar pelo menos 100 mil yuans (cerca de R$ 52 mil). Mas como eu não pago seguro saúde, não posso pedir o reembolso ao governo”.

Apesar do crescimento econômico da China, a história do casal é algo comum. Vindos do interior do país, eles fazem parte dos cerca de 300 milhões de migrantes internos que viajam em busca de trabalho nos grandes centros. Esses moradores são muitas vezes marginalizados, sem acesso aos serviços básicos da saúde pública.