rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Tiros são ouvidos na estação central de Colônia na Alemanha; há um refém, segundo a polícia

Taiwan Terremoto Tragédia

Publicado em • Modificado em

Terremoto deixa mais de 200 feridos e 60 desaparecidos em Taiwan

media
Prédio afetado pelo terremoto em Taiwan 路透社。

O terremoto de magnitude 6,4 na escala Richter que abalou a ilha de Taiwan nesta terça-feira (6) já deixou pelo menos 6 mortos, 258 feridos e 60 desaparecidos, de acordo com as últimas informações das autoridades locais.


O epicentro do tremor foi localizado a 22km ao norte de Hualien, cidade de cerca de 100 000 habitantes, e a menos de um quilômetro de profundidade, declarou o Instituto americano de segurança geológica.

Os bombeiros trabalharam a noite inteira na busca pelos escombros. Entre os feridos, encontram-se turistas do Japão, da Coreia do Sul, de Singapura e da República Tcheca. Cerca de 40 000 casas estão sem água e 1900 sem eletricidade.

Tragédia recorrente

O presidente Tsai Ing-wen compareceu ao local da tragédia para coordenar os socorros, dando a ordem aos ministérios para que uma ‘operação catástrofe’ fosse aplicada. Um outro tremor de escala 6,1 ocorreu domingo (4) na mesma região, sem causar vítimas.

Mais de 100 pessoas morreram num tremor há dois anos no sul de Taiwan. Mas a ilha permanece traumatizada pelo terremoto de magnitude 7,6 que deixou mais de 2000 mortos em 1999.

A catástrofe produziu um cenário de guerra: diversos imóveis ruíram pelas ruas da destinação turística asiática. Um complexo residencial de 12 andares, contendo lojas, um hotel e um restaurante, não suportou o impacto e desmoronou.

Moradores desamparados

“Eu vi o primeiro andar desaparecer no chão. Em seguida o prédio continuou a se afundar até que o quarto andar se tornou o primeiro” disse Lu Chih-son, habitante das proximidades, de 35 anos. “Minha família está segura, mas um vizinho foi ferido e sua cabeça está sangrando. Não temos coragem de voltar para casa”.

Chen Chih-wei, de 80 anos, dormia em seu apartamento do último andar quando sentiu os tremores. “Minha cama virou de cabeça para baixo. Eu estava desacordado e de um momento ao outro me encontrava de pé”.