rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Aplicativo Sexo Paquera Tinder Diversidade Tecnologia

Publicado em • Modificado em

Tinder: Aplicativo de paquera aposta na diversidade com emojis de casais "mistos"

media
Série de emojis com casais "mistos" fazem parte de campanha mundial do Tinder, lançada em 27 de fevereiro de 2018. Reprodução

O aplicativo para encontros Tinder lança nesta terça-feira (27) uma campanha mundial para promover a criação de um emoji "casal misto", com duas pessoas de origens diferentes.


"Ao mesmo tempo em que os emojis permitem representar pessoas de todas as origens e que os emojis de casais do mesmo sexo se tornaram uma realidade em 2015, um grupo de pessoas continua sem ser representação: os casais mistos", alega o aplicativo em um comunicado oficial.

Para promover esse novo emoji, o Tinder lança um abaixo-assinado no site Change.org, uma campanha publicitária e uma campanha nas redes sociais com a hashtag #representlove.

A reivindicação será, então, encaminhada para o consórcio Unicode, baseado no Vale do Silício. É esse grupo que decide os novos símbolos e os padroniza para que possam ser lidos por qualquer terminal numérico, qualquer que seja a plataforma, o software e o idioma.

Na petição, o Tinder lembra que o lançamento de um novo emoji pode levar até dois anos, entre o momento em que é proposto e sua adoção efetiva. No ano passado, o aplicativo militou "por um mundo digital mais inclusivo e mais representativo" com a iniciativa "Mais gênero", que permite a seus usuários escolher entre inúmeras possibilidades de definição de gênero.

Popularidade dos casamentos mistos no mundo

Depois de encomendar um pesquisa sobre a abordagem da diversidade nos encontros on-line, o app garante que "o Tinder, assim como a popularidade crescente dos aplicativos de encontro on-line, estão na origem do aumento de casamentos mistos no mundo".

De acordo com essa sondagem, 81% dos usuários do Tinder na França tiveram um encontro com uma pessoa de origem diferente da sua, contra 63% de não usuários do Tinder. Nos Estados Unidos, são 79% e 62%, respectivamente.

A enquete foi realizada pela Morar HPI. Nela, foram entrevistados 4.244 adultos nos Estados Unidos, no Reino Unido, na Austrália e na França entre 26 de janeiro e 1º de fevereiro de 2018.

Lançado em 2012, o Tinder diz ter 50 milhões de usuários no mundo todo, incluindo mais de 2 milhões de assinantes pagos.

(Com informações da AFP)