rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Linha Direta
rss itunes

Trump vai convencer Kim Jong-Un a abandonar o programa nuclear da Coreia do Norte?

O líder norte-coreano, Kim Jong-Un, e o presidente americano, Donald Trump, estão em Singapura e devem se encontrar nesta terça-feira (12). A reunião, histórica, acontece depois de décadas de rivalidade e de uma escalada recente das tensões entre os dois países por conta do programa nuclear norte-coreano.

Luiza Duarte, correspondente da RFI em Hong Kong

Kim Jong Un está hospedado no hotel St-Regis, junto com uma delegação de oficiais norte- coreanos, entre eles sua irmã mais nova, Kim Yo-Jong, que ganha cada vez mais espaço na política do país. Trump está em outro hotel, a apenas algumas ruas do líder norte-coreano.
O bairro - que abriga diversas embaixadas e hotéis cinco estrelas - fica a cerca de 10km da ilha de Sentosa - onde o encontro acontece nesta terça-feira (12), às 9h no horário local (23h do dia anterior em Brasília).

Trump e Kim Jong-Un chegaram no domingo (9). O líder norte-coreano usou um avião chinês para o trajeto de cerca de 4 mil quilômetros entre Pyongyang e Singapura. A rota escolhida foi mais longa para passar o máximo de tempo de voo dentro do espaço aéreo chinês e contar com a proteção de Pequim. Já Trump veio direto do Canadá, onde participou do G7.

Segurança reforçada

O encontro entre Trump e Kim é o centro das atenções na tranquila Singapura, que foi invadida por jornalistas - mais de três mil profissionais estão presentes. Para garantir a segurança, foram criadas zonas especiais de proteção em torno dos hotéis dos líderes e do local da cúpula. Foram colocadas barricadas e policiais fecharam algumas ruas.

Na última sexta-feira (8), dois jornalistas sul-coreanos foram detidos por ultrapassarem os limites da residência do embaixador da Coreia do Norte. Para o encontro dessa semana, cerca de 5 mil policiais foram mobilizados, mas a presença das forças de segurança nas ruas é pouco visível e não alterou a rotina dos moradores de Singapura.

Além disso, qualquer protesto em Singapura precisa de uma autorização da polícia para acontecer e dificilmente eles serão permitidos neste momento. A forte segurança, graças a um desenvolvido aparato tecnológico, foram justamente uns dos fatores que levaram a escolha de Singapura para acolher esse encontro.

Resultado imprevisível

O resultado dessa reunião é imprevisível. Hoje a imprensa norte-coreana voltou a descartar uma desnuclearização unilateral,   sem contrapartida   e defendeu a criação de um mecanismo permanente para manter a paz na península coreana. O secretário de estado Americano, Mike Pompeo, que também em Singapura, reforçou que os Estados Unidos querem a completa, verificável e irreversível desnuclearização da Coreia do Norte.

O presidente americano tentou diminuir as expectativas em torno do encontro. Ele disse que a reunião servirá para iniciar um processo de negociações e dar início a uma relação que vai precisar de mais de uma cúpula para amadurecer. Esta segunda-feira (11) foi marcada por encontros preliminares entre oficiais norte-coreanos e o embaixador dos Estados Unidos. O presidente Donald Trump tem um encontro nesta nesta terça-feira (12) com o primeiro-ministro de Singapura, Lee Hsien Loong, que esteve ontem com Kim Jong-Un. Hoje o líder norte coreano não deixou o hotel onde está hospedado.

Essa é a primeira grande viagem ao exterior de Kim Jong-Un desde 2011, quando assumiu o poder. Oficialmente, ele só deixou a Coreia do Norte em 3 ocasiões: o líder norte-coreano fez duas visitas à China esse ano e na Coreia do Sul em uma zona desmilitarizada que divide as duas Coreias.

Protestos contra padre acusado de abuso sexual marcam visita do Papa aos países bálticos

Destituição do chefe da agência de inteligência alemã abala governo Merkel

70° Emmy é marcado por pedido de casamento e premiação de “The Marvelous Mrs. Maisel”

Hong Kong se recupera da passagem do tufão Mangkhut, o mais forte que já atingiu o território

Em Berlim, congresso sobre violência sexual destaca casos na Igreja Católica

25 anos depois, Acordos de Oslo entre Israel e Palestina parecem cada vez mais distantes

Primárias em Nova York podem concretizar "ano da mulher" do Partido Democrata

Ameaças de sanções contra o Tribunal Penal Internacional reforçam opção isolacionista dos EUA

Suécia: eleições devem confirmar avanço de partido da extrema-direita e anti-imigração

Devido ao Brexit, Reino Unido perde apoio dos países europeus no caso Skripal

Acusado de apoiar terrorismo, Catar pode virar ilha e ficar totalmente isolado

Aufstehen, movimento de esquerda e anti-imigração, é lançado na Alemanha

Ministro italiano pode ser afastado do cargo por bloquear migrantes na Sicília

Papa tenta na Irlanda conquistar católicos afastados por escândalos de pedofilia