rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Linha Direta
rss itunes

Trump vai convencer Kim Jong-Un a abandonar o programa nuclear da Coreia do Norte?

O líder norte-coreano, Kim Jong-Un, e o presidente americano, Donald Trump, estão em Singapura e devem se encontrar nesta terça-feira (12). A reunião, histórica, acontece depois de décadas de rivalidade e de uma escalada recente das tensões entre os dois países por conta do programa nuclear norte-coreano.

Luiza Duarte, correspondente da RFI em Hong Kong

Kim Jong Un está hospedado no hotel St-Regis, junto com uma delegação de oficiais norte- coreanos, entre eles sua irmã mais nova, Kim Yo-Jong, que ganha cada vez mais espaço na política do país. Trump está em outro hotel, a apenas algumas ruas do líder norte-coreano.
O bairro - que abriga diversas embaixadas e hotéis cinco estrelas - fica a cerca de 10km da ilha de Sentosa - onde o encontro acontece nesta terça-feira (12), às 9h no horário local (23h do dia anterior em Brasília).

Trump e Kim Jong-Un chegaram no domingo (9). O líder norte-coreano usou um avião chinês para o trajeto de cerca de 4 mil quilômetros entre Pyongyang e Singapura. A rota escolhida foi mais longa para passar o máximo de tempo de voo dentro do espaço aéreo chinês e contar com a proteção de Pequim. Já Trump veio direto do Canadá, onde participou do G7.

Segurança reforçada

O encontro entre Trump e Kim é o centro das atenções na tranquila Singapura, que foi invadida por jornalistas - mais de três mil profissionais estão presentes. Para garantir a segurança, foram criadas zonas especiais de proteção em torno dos hotéis dos líderes e do local da cúpula. Foram colocadas barricadas e policiais fecharam algumas ruas.

Na última sexta-feira (8), dois jornalistas sul-coreanos foram detidos por ultrapassarem os limites da residência do embaixador da Coreia do Norte. Para o encontro dessa semana, cerca de 5 mil policiais foram mobilizados, mas a presença das forças de segurança nas ruas é pouco visível e não alterou a rotina dos moradores de Singapura.

Além disso, qualquer protesto em Singapura precisa de uma autorização da polícia para acontecer e dificilmente eles serão permitidos neste momento. A forte segurança, graças a um desenvolvido aparato tecnológico, foram justamente uns dos fatores que levaram a escolha de Singapura para acolher esse encontro.

Resultado imprevisível

O resultado dessa reunião é imprevisível. Hoje a imprensa norte-coreana voltou a descartar uma desnuclearização unilateral,   sem contrapartida   e defendeu a criação de um mecanismo permanente para manter a paz na península coreana. O secretário de estado Americano, Mike Pompeo, que também em Singapura, reforçou que os Estados Unidos querem a completa, verificável e irreversível desnuclearização da Coreia do Norte.

O presidente americano tentou diminuir as expectativas em torno do encontro. Ele disse que a reunião servirá para iniciar um processo de negociações e dar início a uma relação que vai precisar de mais de uma cúpula para amadurecer. Esta segunda-feira (11) foi marcada por encontros preliminares entre oficiais norte-coreanos e o embaixador dos Estados Unidos. O presidente Donald Trump tem um encontro nesta nesta terça-feira (12) com o primeiro-ministro de Singapura, Lee Hsien Loong, que esteve ontem com Kim Jong-Un. Hoje o líder norte coreano não deixou o hotel onde está hospedado.

Essa é a primeira grande viagem ao exterior de Kim Jong-Un desde 2011, quando assumiu o poder. Oficialmente, ele só deixou a Coreia do Norte em 3 ocasiões: o líder norte-coreano fez duas visitas à China esse ano e na Coreia do Sul em uma zona desmilitarizada que divide as duas Coreias.

Brasileiros da Cisjordânia estão indignados com possível transferência da embaixada do Brasil para Jerusalém

Senado italiano aprova projeto para reduzir proteção humanitária a imigrantes

Lisboa recebe Web Summit, conferência de inovação digital que reúne estrelas do setor

Moro deixa a posição de quase semideus e passa a ser ministro em cenário conturbado, diz cientista político

Para Turquia, morte de Khashoggi não poderia ter ocorrido sem ordem do alto escalão saudita

Republicanos e democratas rejeitam veto de Trump para cidadania por nascimento

Tensões geopolíticas com morte de jornalista geram incertezas à economia saudita e da região

Em meio à onda militarista de Bolsonaro, Chile e Uruguai punem insubordinações de militares

Reino Unido: movimento para novo referendo sobre Brexit cresce, mas premiê nega nova consulta

Extrema direita alemã cria plataforma para controlar debate político nas escolas

Jornalista saudita teria sido torturado por sete minutos, diz imprensa turca

Em momento conturbado na Arábia Saudita, Brasil enfrenta Argentina em amistoso