rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Linha Direta
rss itunes

Supermercados dinamarqueses escondem cigarros dos clientes

Por RFI

A maior parte dos supermercados da Dinamarca vai começar a esconder os cigarros da vista dos clientes. Em breve, os cigarros deixarão de ser expostos e os fregueses terão de pedir ao caixa se quiserem levar um maço para casa. A medida está sendo adotada de forma voluntária e é uma reação ao crescimento do hábito de fumar entre os jovens.

Margareth Marmori, correspondente da RFI em Copenhague

As redes de supermercado ainda estão se preparando para colocar a medida em prática, que tem o objetivo de desencorajar o vício de fumar. Segundo o Ministério da Saúde da Dinamarca, o hábito causa a morte de 14 mil pessoas por ano no país. A Salling, a maior rede de supermercados da Dinamarca, começará a implementar a medida em suas 600 lojas a partir de agosto e espera que os maços estejam fora da vista dos clientes até outubro.

O grupo Rema 1000, que foi o primeiro a anunciar a decisão, promete esconder os cigarros em todas as suas 314 lojas até janeiro de 2019. A segunda maior rede de supermercados do país, a COOP, também já avisou que seguirá o exemplo dos concorrentes, embora ainda não tenha anunciado quando.

Venda não será suspensa

Nem todos os empresários estão dispostos a abrir mão da renda gerada com a venda de cigarros, embora alguns tenham declarado que esperam que os políticos criem leis para restringir a venda de cigarros. Assim, como a lei vale para todos, nenhuma rede sairia perdendo se todos fossem obrigados a parar ou diminuir a venda do produto.

Mas já há estabelecimentos que se adiantaram e tomaram a iniciativa de parar completamente com o comércio de produtos de tabaco. Em março deste ano, a rede de departamentos mais tradicional da Dinamarca, o Magasin, deixou de vender cigarros em todas as suas seis locações. Até 2013, o consumo de cigarros vinha diminuindo na Dinamarca. Mas uma pesquisa divulgada recentemente pelo governo e que ouviu mais de 183 mil pessoas, mostrou que o número de fumantes parou de cair.

Atualmente, quase 17% dos dinamarqueses fumam diariamente. Um dos dados mais preocupantes da pesquisa, chamado de Perfil Nacional da Saúde, foi o crescimento do número de jovens na faixa de 16 a 24 anos de idade que fumam. De 2013 a 2017, aumentou para 17,1 por cento o número de jovens do sexo masculino que fumam diariamente. Entre as jovens, 14,2 por cento fumam todo dia.

Para especialista, é barato fumar na Dinamarca

A decisão de esconder os maços de cigarro também pode ser vista como uma reação às críticas que os supermercados sofrem porque muitos deles desrespeitam a lei que proíbe a venda de produtos de tabaco a menores de 18 anos. Na maior parte dos estabelecimentos comerciais, os jovens conseguem comprar cigarros graças à negligência de funcionários.

Diversos especialistas acreditam que um dos motivos para o aumento do número de jovens fumantes é que é relativamente barato fumar na Dinamarca. Aqui, um maço com 20 cigarros custa o equivalente a cerca de 24 reais. Esse valor é a metade do que é cobrado na Noruega, onde apenas três por cento dos jovens fumam.

Refugiado deportado por engano expõe falha em política migratória da Alemanha

Novo bloqueio de Israel à Gaza aumenta temor de conflito de maiores proporções

Caos em aeroporto de Lisboa deixará Portugal com 1 milhão de turistas a menos por ano

"Nem sempre o melhor vence", alfineta capitão croata depois da final contra a França

Superação será fator decisivo na final da Copa entre França e Croácia

Trump visita May no Reino Unido mas tenta fugir dos protestos em Londres

Reforma da aposentadoria dos juízes ameaça Estado de Direito na Polônia

Secretário de Defesa americano dá prosseguimento a negociações diplomáticas em viagem pela Ásia

Fragilizada, Merkel tenta resolver conflito migratório em cúpula da UE

Com jogadores mais altos, Sérvia vai apostar em bolas aéreas contra o Brasil

Guerra comercial: EUA visam boicote ao capital chinês em empresas de tecnologia

UE visa criação de centros de triagem para migrantes fora do território europeu