rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Laos Tragédia Barragem

Publicado em • Modificado em

Laos: ruptura de barragem de represa deixa mortos e centenas de desaparecidos

media
A represa rompeu na noite de segunda-feira, liberando 5 bilhões de metros cúbicos de água (Foto: Reuters)

Várias pessoas morreram e centenas desapareceram nesta terça-feira (24) no Laos depois da ruptura da barragem de uma represa hidrelétrica em construção que submergiu seis aldeias em um dos países mais pobres do Sudeste Asiático.


Dezenas de moradias na zona inundada ficaram totalmente submersas, como mostram imagens aéreas feitas pelas equipes de resgate. Situada na província de Attapeu, no sudoeste, perto da fronteira com o Vietnã, a represa rompeu na noite de segunda-feira (23), liberando 5 bilhões de metros cúbicos de água e "deixando vários mortos e centenas de desaparecidos", de acordo com a agência oficial do regime comunista.

Várias casas foram destruídas. "O projeto hidroelétrico Xe-Pian Xe-Namnoy desabou", confirmou a empresa Xe Pian-Xe Namnoy Power Company (PNPC), encarregada da construção da represa. "O acidente foi causado pelas contínuas chuvas que fizeram que grandes quantidades de água se acumulassem", diz o comunicado.

Dezenas de represas estão atualmente em construção no Laos, financiadas na maior parte do tempo pela China. Grande parte da energia hidroelétrica é exportada para os países vizinhos, em particular a Tailândia. "Dez já estão em operação, entre 10 e 20 ainda estão em obras, e outras dezenas estão na fase de projetos", detalhou Toshiyuki Doi, da ONG Mekong Watch.

Sudeste asiático

Há anos, as organizações de defesa do meio ambiente manifestaram sua preocupação com os projetos de hidrelétricas do Laos, especialmente pelo impacto das represas no rio Mekong, sua flora e fauna, assim como sobre as populações rurais e as economias locais.

A represa da província de Attapeu, uma obra de mais de US$ 1 bilhão, está em construção desde 2013. Por trás desse projeto está a Xe Pian-Xe Namnoy Power Company (PNPC), uma joint venture formada pela companhia tailandesa Ratchaburi Electricity Generating Holding, pela sul-coreana Korea Western Power e a laosiana Lao Holding State Enterprise.

A represa, de 410 megawatts de potência, deveria começar a fornecer energia em 2019, segundo o site da PNPC. Do total, 90% da energia produzida seria exportada para a Tailândia. Há outro projeto gigante atualmente em curso no Laos. Trata-se da represa hidrelétrica de Xayaburi, construída pelo grupo tailandês CH Karnchang. Seu custo está avaliado em US$  3,8 bilhões para uma potência de 1.285 megawatts.

(Com informações da AFP)