rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Governo ONU Donald Trump

Publicado em • Modificado em

Trump gera risos na ONU ao afirmar ter melhor administração da história dos EUA

media
Trump chegando para a Assembleia Geram da ONU REUTERS/Shannon Stapleton

O presidente norte-americano Donald Trump se mostrou otimista nesta terça-feira (25) quanto ao resultado de suas políticas nos Estados Unidos (EUA), durante seu discurso na Assembleia Geral da ONU. Ele elogiou o sucesso do projeto diplomático com a Coreia do Norte, além de pedir para que a comunidade internacional se “isole do regime iraniano”.


“Em menos de dois anos, minha administração fez o que nenhuma outra tinha feito na história dos EUA”, disse Trump no começo de seu discurso, o que provocou risos dos que estavam presentes. “Não esperava essa reação, mas tudo bem”. Ele continuou: “Nossa economia está aumentando como nunca antes. Desde minha eleição, trouxemos US$ 10 trilhões para os EUA”.

Dando destaque à soberania norte-americana, Donald Trump exigiu um mercado “justo e equilibrado” e tentou justificar suas decisões econômicas recentes, sobretudo quanto à China. “O desequilíbrio comercial com Pequim não pode mais ser tolerado”, disse.

Ele também pediu que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo pare de aumentar as tarifas. “Nós defendemos todas essas nações para nada e elas aproveitam para impor seus preços elevados de petróleo. Não é correto. Queremos que elas abaixem os preços”.

Críticas contra o TPI e o Irã

Trump também aproveitou para criticar o Tribunal Penal Internacional (TPI), afirmando que a instituição não tinha “nenhuma autoridade e nenhuma legitimidade”. Protestando contra a “ideologia da globalização”, Trump disse que não abandonaria jamais a “soberania norte-americana por uma burocracia mundial, que não foi eleita e é irresponsável”.

O chefe da Casa Branca também criticou severamente o Irã e fez um apelo para que a comunidade internacional se isole do “regime iraniano”. “Não podemos permitir que o principal apoio do terrorismo no mundo tenha em posse as armas mais poderosas do planeta” e “ameace os Estados Unidos ou Israel”.

Chamando o governo iraniano de “ditadura corrompida”, Trump justificou a saída dos EUA do Acordo nuclear iraniano de 2015, dizendo que o objetivo era “impedir a República islâmica de desenvolver a bomba atômica”, além de reestabelecer todas as sanções norte-americanas contra o país.