rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Eleição Iraque Curdos

Publicado em • Modificado em

Curdo Barham Saleh é eleito presidente do Iraque

media
Barham Saleh é eleito presidente do Iraque SHWAN MOHAMMED / AFP

O curdo Barham Saleh, de 58 anos, foi eleito nesta terça-feira (2) presidente do Iraque, um cargo honorário em um país onde o poder é controlado pelo chefe de Governo. Com 219 votos contra 22, Saleh, do partido União Patriótica do Curdistão (UPC), venceu seu principal adversário, Fuad Hussein, de 72 anos, ex-chefe de gabinete do ex-presidente do Curdistão iraquiano, Massud Barzani.


Barham Saleh é uma personalidade apreciada em Bagdá, mas que provoca ressalvas na comunidade curda, profundamente dividida após o fiasco do referendo de independência. Engenheiro informático e diplomado na Grã-Bretanha, Saleh tem uma longa carreira política, tanto no Curdistão, região autônoma desde 1991, quanto no seio das autoridades federais iraquianas.

Saleh foi membro das autoridades provisórias criadas pelo comando militar americano após a queda do ditador Saddam Hussein, durante a invasão dos Estados Unidos em 2003. Em seguida, ele foi ministro da Planificação do governo federal, nascido nas primeiras eleições multipartidárias do Iraque, em 2005.

Um ano depois, ele se tornou vice-primeiro-ministro de Nouri al-Maliki e, no fim de seu mandato, em 2009, voltou para Erbil, com o objetivo de ocupar o cargo de chefe de governo do Curdistão até 2011.

“Iraquiano antes de qualquer coisa”

“Ele ficou conhecido como alguém que é iraquiano antes de qualquer coisa”, declara um político de Bagdá à AFP. “Ele é aceito por todos”. Em 2014, houve rumores de que ele retornaria à Bagdá para se tornar presidente da República, mas, no último momento, ele deu lugar a Fouad Massoum, também do UPC.

O UPC ocupa desde 2005 a presidência do Iraque, respeitando um acordo que dá a seu rival, o Partido Democrático do Curdistão (PDC), de Massud Barzani, a presidência da região curda.

Para Khaled Chouani, diretor do UPC, o partido precisava de um candidato moderado e “aceito por todos”, que prega um “reforço das relações entre o governo federal e o povo curdo”. Além disso, a personalidade de Barham Saleh agrada ao Irã, próximo do UPC, e aos Estados Unidos.

Barham Saleh militou pela instalação da Universidade americana de Souleimaniyeh, atualmente uma das mais reputadas do país. Filho de um juiz e de uma ativista dos direitos das mulheres, Saleh prestou juramento nesta terça-feira diante dos deputados, afirmando que lutaria para “preservar a unidade do Iraque”. Suas palavras encontraram eco na assembleia, que votou, há um ano, contra o referendo de independência curda.