rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Coreia do Norte Fome crise humanitária

Publicado em • Modificado em

Fome na Coreia do Norte atinge 40% da população

media
Bandeira norte-coreana em frente a um conjunto residencial em Pyongyang, foto ilustração Creative Commons CC0

10 milhões de norte-coreanos sofrem com problemas relacionados à desnutrição e, segundo um relatório do Programa Alimentar Mundial (PAM) divulgado nesta terça-feira (9), 40% da população precisa de ajuda humanitária.


“Apesar das melhorias registradas neste ano, a necessidade de ajuda humanitária na Coreia do Norte é ainda muito expressiva, principalmente por causa da insegurança alimentar crônica e uma alta taxa de desnutrição”, declarou o porta-voz do PAM, Hervé Verhoosel, durante uma coletiva de imprensa em Genebra, na Suíça.

No país, governado por Kim Jong-un, uma a cada cinco crianças sofre de raquitismo, uma doença que compromete o crescimento por causa de uma carência de vitamina D e cálcio.

Falta de verba

Apesar da gravidade da situação, o PAM pode ter que reduzir a ajuda que oferece à Coreia do Norte por falta de verba, disse o porta-voz. O órgão de ajuda alimentar, vinculado à ONU, que gostaria de reservar US$ 52 milhões à Coreia do Norte em 2018, ainda precisa de US$ 15,2 milhões para financiar seus programas e evitar cortes em seus projetos de assistência alimentar.

A Coreia do Norte tem sofrido com as sanções internacionais, mas tenta diminuí-las desde a aproximação com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Por enquanto, os poucos dados econômicos disponíveis permitem supor que o país vive sua pior retração econômica em 20 anos. O PAM e a Unicef fazem parte das raras organizações que ajudam o país asiático, graças ao acesso autorizado pela Coreia do Norte, que já passou por um período de fome intensa no meio dos anos 1990