rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Padre Igreja paternidade

Publicado em • Modificado em

Contrariando a Igreja Católica, filhos de padres se unem para encontrar pais biológicos

media
Uma carta do Vaticano foi endereçada à Coping International REUTERS

Para a Igreja Católica, existe algo ainda mais tabu do que a sexualidade dos padres: seus filhos – literalmente falando. Pensando em todas as crianças e adultos que, como ele, descobriram que seus pais haviam jurado celibato à instituição religiosa, o irlandês Vincent Boyle criou o site Coping International. A plataforma funciona como rede de contato e de apoio aos descendentes de padres por todo o mundo e tem até parceria com uma agência de DNA, a Origin Genetics, contribuindo para a confirmação das paternidades.


Em seu site, a Coping International se define como “uma organização comunitária estabelecida para prover assistência mental e psicológica a todas as crianças de padres da Igreja Católica”. Um apoio que pode ocorrer pessoalmente ou online, como foi o caso de Susan, australiana que descobriu, após a morte da mãe, a identidade de seu pai. “Minha vida foi uma mentira. Quero que me entreguem minha identidade. Filha de padre! Eu nem sabia que isso existia”, disse ao jornal Le Monde.

Ao pesquisar na internet, Susan descobriu a rede Coping International. “Pensava ser a única. Na Austrália, não havia nenhuma informação. E a quem eu poderia contar isso? Quem acreditaria em mim?”, pergunta a jovem. A mãe de Susan levou seu segredo ao túmulo – ela só descobriu a verdade através de um teste de DNA.

Mensagens de apoio

Desde sua criação em 2014, a Coping International chamou a atenção não somente da parte laica, mas igualmente do “lado sagrado” da família. “Estejam certos de que Sua Santidade tem consciência e apreciação pela iniciativa e lembra dela em suas orações”, disse uma carta, escrita em nome do Papa Francisco, e destinada à associação. “Rezo para que a Coping seja capaz de encontrar maneiras de reunir as crianças de padres e seus pais biológicos”, afirmou o Arcebispo de Dublin, Diarmuid Martin.

“Que Deus abençoe todos aqueles que se beneficiam de seus corajosos esforços para ajudar aqueles que passam por essa difícil situação. Que a verdade liberte e traga paz de espírito”, declarou, por sua vez, o padre Thomas Rosica, da CSB Salt and Light Catholic Media Foundation, no Canadá. “[A Coping International] permite que eles sintam que o mundo é seguro. Qualquer esforço de curar o trauma dessa ausência de afeto deve ser recomendado”, afirmou o padre Gerard McGlona, psicoterapeuta do Vaticano. 

Filme de espionagem

Vincent Doyle decidiu criar a Coping International em 2014, após o choque da descoberta sobre suas origens “sacras”. Ele se lembra de ter convivido com seu pai biológico, um padre de uma cidade do centro da Irlanda, quando criança. “Ninguém fala dos filhos dos padres e a igreja finge que eles não existem”, afirma ao Le Monde. “É preciso quebrar o silêncio devastador. O catolicismo de verdade aceita todas as crianças, sem exceção”.

Na França, existe uma outra associação, a Filhos do Silêncio, criada por Anne-Marie Jarzac, hoje com 67 anos, filha de um padre e de uma freira. “É preciso guardar o segredo. E eles não querem de jeito nenhum ser reconhecidos!”, declara ao jornal francês. “Mesmo entre a gente, temos que enviar e-mails com o destinatário oculto para que ninguém saiba. Parece até um filme de espionagem”, brinca.

A despeito da dissimulação da Igreja Católica e do desejo de discrição dos padres, seus filhos e filhas biológicos não param de aparecer. Em dois anos e meio, o site da Coping International recebeu 13.800 visitantes. “As pessoas buscam informações sem cessar”, afirma Vincent Doyle.