rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Coreia do Sul Coreia do Norte Armas Nucleares

Publicado em • Modificado em

Coreias pretendem reconectar as duas partes da península

media
Na estação Panmun, em Kaesong na Coréia do Norte, autoridades sul e norte-coreanas dão início ao projeto de reconstrução de ferrovias e estradas que ligam os dois lados da península. Yonhap via REUTERS

Apesar das sanções que pesam sobre o líder norte-coreano, Kim Jong-un, as duas Coreias fizeram, nesta quarta-feira (26), uma cerimônia simbólica para dar início ao projeto de interligar e reparar as estradas e ferrovias da península asiática.
 


O convite para a participação em projetos conjuntos partiu da parte norte da península asiática. A Coreia do Sul, no entanto, ressaltou que a cerimônia ainda não significaria o início real dos trabalhos para ligar e modernizar as vias entre as duas Coreias. 

O porta-voz do Ministério sul-coreano da Unificação descreveu a data como uma simples "expressão de compromisso" [de estreitar laços entre os países] e acrescentou que a construção dependeria do "progresso da desnuclearização do Norte e das circunstâncias relativas às sanções".

A conexão de estradas e ferrovias faz parte de uma série de medidas que têm como objetivo melhorar os laços bilaterais, conforme acordado em setembro passado, pelo presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e pelo líder norte-coreano, Kim Jong-un.

O principal responsável pelo setor de ferrovias de Pyongyang, na Coreia do Norte, Kim Yun-hyok, afirmou que o Sul deveria parar de seguir os Estados Unidos no que diz respeito às sanções.

Reunificação

"Se o Sul continuar a olhar por cima do ombro para verificar o humor de alguém e continuar a procrastinar, a reunificação nunca acontecerá", disse Kim na cerimônia na estação de Panmun, na cidade fronteiriça de Kaesong, na Coreia do Norte".

Para o evento, um trem especial com cerca de 100 sul-coreanos a bordo, incluindo autoridades e cinco pessoas nascidas no Norte, partiu de Seul logo cedo, rumo a Kaesong. O trem levava pintado o emblema: "Construamos juntos uma era de paz e de prosperidade com a reconexão da ferrovia e das estradas Sul-Norte".

Antes da divisão em 1948, duas linhas ferroviárias conectavam a parte ocidental e oriental da península. Com o pressuposto de que serão necessários cinco anos para reparar e modernizar estas duas ligações ferroviárias, a Coreia do Sul reservou cerca de 56 milhões de dólares para as obras em 2019.

Tudo vai depender da desnuclearização

O relaxamento das sanções à Coreia do Norte ganhou força depois da reunião histórica entre o presidente dos EUA, Donald Trump, e Kim Jong-un em junho deste ano, em Cingapura.

A Coreia do Norte, no entanto, é acusada de não ter assumido nenhum compromisso concreto de abandonar o projeto nuclear do país. Os EUA exigem a "desnuclearização definitiva e totalmente comprovada" do Norte antes que as sanções políticas e econômicas sejam retiradas.