rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Primeira-ministra britânica, Theresa May, anuncia sua renúncia para 7 de junho

Sri Lanka Atentado Ataques Morte

Publicado em • Modificado em

Bilionário dinamarquês perde três filhos em ataques no Sri Lanka

media
O bilionário dinamarquês Anders Holch Povlsen e sua esposa, Anne (Foto: Reuters)

Três dos quatro filhos do bilionário dinamarquês Anders Holch Povlsen, proprietário do grupo de moda Bestseller e acionista majoritário da marca ASOS, foram mortos nos ataques de domingo (21) no Sri Lanka, anunciou um porta-voz da companhia.


A família estava de férias no país e hospedada em um dos hotéis atingidos pelos ataques, mas não há detalhes sobre as circunstâncias das mortes. "Pedimos que a privacidade da família seja respeitada e não faremos outros comentários", declarou Jesper Stubkier, gerente de comunicações da Bestseller.

A identidade e a idade das vítimas não foram divulgadas, mas todos eram menores. Segundo a imprensa dinamarquesa, Anders Holch Povlsen, sua esposa Anne e seus quatro filhos, três meninas e um garoto, estavam de férias no Sri Lanka. Há quatro dias, a irmã mais velha, Alma, publicou uma foto dos irmãos na beira da piscina no Instagram, onde vários internautas deixaram mensagens de apoio.

Considerado a pessoa mais rica na Dinamarca, Anders Holch Povlsen, de 46 anos, herdou o grupo de moda Bestseller, criado em 1975 por seus pais, Merete e Troels Holch Povlsen. O grupo, que possui cerca de 3.000 pontos de venda em 70 países, possui marcas como Vero Moda, Only e Jack & Jones.

Oito explosões

Holch Povlsen também é acionista majoritário da marca britânica de moda online ASOS e faz parte do capital da Zalando, especialista alemã em vendas pela Internet. As oito explosões ocorridas no domingo em várias partes do Sri Lanka deixaram pelo menos 290 mortos e 500 feridos. Os alvos foram igrejas e hotéis de luxo na capital, Colombo, e outras cidades.

Nesta segunda-feira (22), o governo acusou o grupo islâmico local, o National Thowheeth Jama'ath (NTJ), de estar por trás dos ataques suicidas no domingo de Páscoa, mas jornalistas especializados questionam a afirmação do governo.

(Com informações da AFP)