rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Primeira-ministra britânica, Theresa May, anuncia sua renúncia para 7 de junho

Sri Lanka Nova Zelândia Atentado

Publicado em • Modificado em

Atentado no Sri Lanka seria represália ao ataque a mesquitas na Nova Zelândia

media
Enterro de vítimas de atentado em Negombo, Sri Lanka (23/04/2019). Jewel SAMAD / AFP

Os atentados de domingo (21) contra igrejas católicas e hotéis de luxo no Sri Lanka seriam uma vingança ao massacre cometido no mês passado contra mesquitas de Christchurch, na Nova Zelândia, declarou nesta terça-feira (23) o secretário de Estado da Defesa do Sri Lanka.


Ruwan Wijewardene precisou que dois grupos islâmicos do Sri Lanka, entre eles o National Thawheed Jama’ut (NTJ), estavam sem dúvida envolvidos nos atentados coordenados do domingo, que fizeram pelo menos 321 mortos, entre eles 38 estrangeiros, segundo o último comunicado emitido nesta terça-feira.

“Os primeiros elementos das investigações mostram que são represálias ao ataque contra mesquitas na Nova Zelândia”, declarou o secretário de Estado diante do parlamento.

No mês passado, um australiano de 28 anos, identificado como supremacista branco, Brenton Harrison Tarrant, matou 50 pessoas em duas mesquitas da cidade neozelandesa de Christchurch. A carnificina foi transmitida ao vivo pelo Facebook.

Três minutos de silêncio

A população do Sri Lanka observou na manhã desta terça-feira três minutos de silêncio em homenagem aos mortos na série de atentados suicidas.

O governo declarou dia de luto nacional nesta terça-feira, com as bandeiras de todas as instituições governamentais a meio pau e as emissoras de rádio e TV transmitindo apenas música.

Na igreja de Santo Antônio de Colombo, palco do primeiro atentado na manhã de domingo, dezenas de pessoas rezaram em silêncio, com velas nas mãos. Ao final dos três minutos de silêncio, a multidão passou a rezar em voz alta.