rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Japão Donald Trump Estados Unidos Imperador

Publicado em • Modificado em

Trump chega ao Japão e vai encontrar novo imperador Naruhito

media
O presidente americano Donald Trump e sua esposa Melania chegam ao Japão (Foto: Reuters)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, chegou neste sábado (25) ao Japão para uma visita de quatro dias, sem avanços concretos sobre a questão do comércio.


O Air Force One pousou no Japão pouco antes das 17h00 (5h00 de Brasília). O presidente americano e sua esposa, Melania, foram recebidos pelo ministro japonês das Relações Exteriores, Taro Kono, e sua esposa, Kaori. Em seguida, Trump participou de uma reunião com empresários dos principais grupos japoneses, incluindo automobilísticos, na residência do embaixador dos Estados Unidos.

Com esta segunda viagem ao Japão, Trump será o primeiro líder estrangeiro a encontrar o novo imperador Naruhito, que subiu ao trono de Crisântemo em 1 de maio, após a abdicação de seu pai, Akihito. Em Washington, como em Tóquio, vende-se a imagem de uma relação pessoal sem precedentes entre Trump e o primeiro-ministro Shinzo Abe. Os dois homens participarão de uma partida de golfe, uma paixão comum.

O destaque desta visita de Estado será a reunião na segunda-feira (27) entre o presidente americano e o imperador, além do banquete oferecido à noite no palácio imperial. Os outros líderes estrangeiros terão que esperar as festividades organizadas em outubro para essa honra. Mas esse momento histórico provavelmente deverá superar por pouco o espetáculo de Donald Trump participando de um torneio de sumô no domingo, na arena Ryokoku Kokugikan.

Trump entregará ao vencedor, o japonês Asanoyama, um "Troféu Trump", de 1,4 metro de altura. O lutador japonês vencerá a disputa independentemente do resultado da disputa de domingo, já que é o detentor do maior número de vitórias. A sequência diplomática oficial da viagem é limitada a uma breve reunião bilateral com um almoço de trabalho na segunda-feira, seguido de uma coletiva de imprensa.

Trump e Abe também planejam encontrar as famílias dos japoneses sequestrados nos anos 1970 e 1980 pela Coreia do Norte com o objetivo de transformá-los em treinadores de espiões norte-coreanos. Shinzo Abe, para quem este tema é de grande importância na política interna, pediu a Donald Trump para levantar esta questão em suas conversas com o líder norte-coreano Kim Jong Un. Na terça-feira, eles visitarão a base naval comum de Yokosuka.

Relações comerciais tensas

Apesar do clima amigável, a questão comercial permanece tensa entre os dois países. Donald Trump adiou por seis meses a imposição de tarifas adicionais sobre as importações de carros japoneses e europeus, e também disse que a dependência dos Estados Unidos da indústria automobilística estrangeira representava uma ameaça à segurança nacional - o que não deixou de irritar gigantes como a Toyota.

Desde que chegou ao poder, Donald Trump cria polêmica políticas econômicas agressivas, mesmo contra aliados, para proteger a indústria americana. Adotando uma postura oposta da China ou da União Europeia, mais ofensiva, Tóquio tem se mostrado conciliatório, na esperança de obter um acordo mais favorável.

Novas negociações são esperadas neste sábado à noite entre o ministro da Economia japonês, Toshimitsu Motegi, e o representante americano do Comércio, Robert Lighthizer. Mas um acordo é improvável, segundo autoridades citadas na imprensa.

(Com informações da AFP)