rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Irã Reino Unido Petróleo Diplomacia Estreito de Ormuz

Publicado em • Modificado em

Irã aumenta tensão ao ignorar pedidos internacionais para liberar petroleiro britânico

media
Navio petroleiro britânico Stena Impero continua detido pelas autoridades iranianas. Tasnim News Agency/Handout via REUTERS A

O Irã ignorou neste sábado (20) os pedidos do Reino Unido, Estados Unidos e aliados para que libere o petroleiro de bandeira britânica apreendido no dia anterior o Estreito de Ormuz. O Reino Unido disse que Teerã está escolhendo “um caminho perigoso”.


Tanto a França quanto a Alemanha pediram ao Irã que liberte imediatamente o petroleiro britânico. "Uma nova escalada seria muito perigosa para a região", advertiu Berlim. "Uma ação desse tipo prejudica a situação na região do Golfo", declarou Paris, que exprimiu “plena solidariedade ao Reino Unido”. A União Europeia, por sua vez, pediu calma para evitar “tensões suplementares”, mas insistiu que “a liberdade de navegação deve ser respeitada”.

A Guarda Revolucionária iraniana insiste que se aproximou do "Stena Impero" na sexta-feira (19) porque o navio "não respeitou o código marítimo internacional" e colidiu em um barco na passagem pelo estreito. A embarcação, de propriedade sueca e bandeira britânica, foi transferida para o porto iraniano de Bandar Abbas, de acordo com as autoridades portuárias da província de Hormozgan.

Essa é a segunda apreensão de um navio em poucos dias pelo Irã, e ocorre após a justiça do enclave britânico de Gibraltar decidir estender por 30 dias a retenção de um petroleiro iraniano, interceptado em 4 de julho sob suspeita de querer entregar petróleo à Síria, violando assim as sanções europeias contra Damasco. Teerã negou essa acusação e já havia avisado que responderia a esse "ato de pirataria".

Londres pede que navios britânicos evitem o Estreito de Ormuz

O Reino Unido alertou neste sábado que o Irã está escolhendo um "caminho perigoso de comportamento ilegal e desestabilizador", segundo o ministro britânico das Relações Exteriores, Jeremy Hunt.

“Nossa prioridade continua sendo encontrar um meio para acalmar a situação”, ponderou o chefe da diplomacia. No entanto, Londres aconselhou aos navios do país que evitem o Estreito de Ormuz, passagem pela qual circula um terço do petróleo mundial.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta sexta-feira que o episódio confirma que o Irã representa apenas "problemas, nada além de problemas".

(Com informações da AFP)