rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Jihadista Síria Ataques Míssil

Publicado em • Modificado em

Ataque com mísseis mata ao menos 40 líderes jihadistas na Síria

media
Região de Idleb, palco de violentos combates e ataques aéreos, em foto de 3 de agosto de 2019. Omar HAJ KADOUR / AFP

Um ataque com mísseis contra uma reunião de líderes jihadistas na província síria de Idleb neste sábado (31) matou pelo menos 40 pessoas, informou a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), poucas horas depois da entrada em vigor de uma trégua promovida pela Rússia.  


O ataque tinha como "alvo uma reunião de líderes do Hurras al-Deen, Ansar al-Tawhid e outros grupos aliados dentro de um campo de treinamento" perto da cidade de Idleb, afirmou Rami Abdel Rahman, diretor do OSDH.

Até o momento não se sabe quem está por trás do ataque ou se os mísseis foram lançados por aviões de guerra ou a partir de posições terrestres, informou a ONG. Um jornalista da AFP presente na cidade de Idlib ouviu várias explosões ao norte da cidade, seguidas por colunas de fumaça no horizonte.

As ambulâncias foram para o local do ataque, onde os jornalistas não tinham permissão para entrar. Na sexta-feira, o exército russo, aliado do regime de Damasco, havia declarado um cessar-fogo unilateral do exército sírio a partir da madrugada de sábado.

Após vários meses de intenso bombardeio da aviação russa e síria, as forças de Bashar al-Assad começaram em 8 de agosto uma ofensiva terrestre em Idlib, controlada, entre outros grupos jihadistas, por Hayat Tahrir Al Sham (HTS, ex-braço sírio da Al Qaeda).

Um dos mais mortais

O total de vítimas faz deste ataque um dos mais mortais infligidos aos jihadistas em um único ataque na Síria. Os grupos-alvo são aliados do HTS, o antigo ramo sírio da Al Qaeda. Todas essas facções foram alvo de ataques aéreos pelo regime sírio e seu aliado russo, mas também pela coalizão anti-jihadista internacional liderada pelos Estados Unidos e pelos próprios Estados Unidos.