rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Rússia Repressão

Publicado em • Modificado em

Igreja Ortodoxa manifesta apoio inédito a opositores na Rússia

media
Russos protestam contra prisão do ator Pavel Ustinov, em Moscou, 18 de setembro de 2019. REUTERS/Maxim Shemetov

Um movimento de solidariedade a favor de manifestantes presos recentemente ganhou força na Rússia nesta quarta-feira (18), com o apoio de atores, professores e até membros da Igreja Ortodoxa.


Desde o início de setembro, os tribunais russos condenaram seis opositores a penas de prisão de dois a quatro anos por "violência" contra a polícia durante manifestações por eleições livres em Moscou ou por sua participação "repetida" em ações não-autorizadas.

O julgamento mais recente, em que Pavel Ustinov, um ator de 23 anos, foi condenado a três anos e meio de prisão, provocou a mobilização de dezenas de personalidades do mundo da cultura, um universo que, geralmente, não se manifesta politicamente na Rússia.

Ustinov alega sua inocência e garante que nem participou do protesto proibido durante o qual foi preso em agosto. Ele afirma que estava simplesmente esperando por um amigo em frente a uma estação de metrô.

Nesta quarta-feira, mais de mil pessoas, incluindo vários atores famosos do país, realizaram individualmente protestos, a única forma de manifestação na Rússia que não exige autorização prévia. "Isso diz respeito a todo mundo", afirmou a atriz Alexandra Bortitch, enquanto o diretor Dmitry Sobolev pediu que "Pavel e os outros condenados indevidamente fossem libertados".

Vários outros manifestantes carregavam cartazes com o slogan "Eu sou/somos o país inteiro", em referência ao movimento de apoio que libertou o jornalista Ivan Golunov em junho, acusado injustamente de tráfico de drogas. Questionado sobre o caso, o Kremlin se limitou a sugerir a espera pelo resultado do recurso interposto pelo advogado de Pavel Ustinov.

“Injustiça flagrante”

Mas esse não foi o apoio mais inusitado do dia ao jovem ator. Numa rara iniciativa, uma carta aberta pedindo a libertação de Pavel Ustinov e outros manifestantes condenados, publicada nesta terça-feira (17) à noite em um jornal religioso on-line, foi assinada por mais de 90 padres da Igreja Ortodoxa, tradicionalmente próximos ao poder.

"É nosso dever expressar a convicção de que as sentenças de prisão impostas a várias pessoas neste caso devem ser revisadas", diz o documento, que denuncia "crueldade sem precedentes". Outra carta aberta assinada por quase 800 professores denunciou a "flagrante injustiça" das condenações e apelou à acusação dos responsáveis.

O diretor de cinema russo Andrei Zviagintsev ("Leviathan"), por sua vez, publicou um vídeo onde exigia que o presidente Vladimir Putin liberte Ustinov. Mais de 70 personalidades estrangeiras, incluindo políticos, escritores e criadores da série Game of Thrones, condenaram em carta aberta a "repressão política" na Rússia.

Uma petição no site Change.org pedindo a libertação de Pavel Ustinov coletou mais de 116.000 assinaturas em pouco mais de 24 horas. Andrei Turchak, um alto funcionário do partido no poder, o Rússia Unida, também descreveu a condenação do jovem ator como uma "flagrante injustiça".

Os apoiadores de Pavel Ustinov estão particularmente indignados com o fato de o tribunal se recusar a examinar um vídeo que comprova a inocência do jovem ator.