rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Tunísia : Boca de urna aponta vitória do professor Kais Saied
Linha Direta
rss itunes

Alemanha declara guerra aos carros SUVs por poluírem e ocuparem muito espaço em estacionamentos

Criticados por consumirem muito combustível e poluírem mais do que o normal, os carros SUVs estão na mira dos ambientalistas alemães. Propostas de proibição de circulação nos centros das cidades, sobretaxas e até ataques de ecologistas reforçam a aversão crescente a esse tipo de veículo, no país onde a indústria automobilística é vital para a economia.

Marcio Damasceno, correspondente da RFI em Berlim

Nas últimas semanas, a Alemanha tem sido palco de um grande debate sobre os veículos SUVs, que estão muito na moda hoje em dia, não só na Alemanha como no Brasil. Eles são mais altos, dão uma certa sensação de segurança ao motorista, costumam ter tração nas quatro rodas, mas também consomem mais combustível e poluem mais.

Eles foram alvo de protestos no fim de semana passado no Salão do Automóvel de Frankfurt. Políticos, principalmente do Partido Verde, chegaram a propor que esses modelos mais encorpados sejam impedidos de circular nos centros das cidades alemãs, onde as ruas são estreitas e onde os espaços para estacionar são cada vez mais raros.

Há também a ideia de se sobretaxar esses carros, para torná-los ainda mais caros e reprimir a demanda, que vem crescendo bastante desde os anos 90. Eles já são os modelos mais vendidos, representando cerca de 30% de todos os carros vendidos na Alemanha.

Um aspecto curioso dessa "guerra contra os SUVs" é que a imprensa tem noticiado que em cidades como Hamburgo e Munique, dezenas de carros utilitários têm amanhecido com adesivos colados no para-brisas por ambientalistas anônimos, muitas vezes com xingamentos, mas também com apelos para que os motoristas comprem carros menores e menos poluentes.

Economia x meio ambiente

A indústria do automóvel é vital para a economia da Alemanha, que tem marcas mundialmente conhecidas, como Volkswagen, Audi, Porsche, BMW, Mercedes-Benz. Ao mesmo tempo, o meio ambiente é uma preocupação constante dos alemães, a ponto de a ecologia também ser uma paixão alemã.

Não é à toa que, às vésperas da Cúpula do Clima da ONU, que será realizada na semana que vem, mais de 500 manifestações em prol do meio ambiente ocorrem nesta sexta-feira (20) na Alemanha. Pela primeira vez as passeatas do movimento “Fridays for Future” (Sextas-feiras pelo Futuro), realizadas em todo o mundo, são convocadas não só por organizações juvenis, mas também por sindicatos e ONGs.

Mais de 200 organizações apoiam os atos em favor do clima no país. E algumas empresas até liberaram seus funcionários. Em Berlim, estão ocorendo atos de diversos bairros.

Ambicioso pacote de medidas

Uma motivação extra é que nesta sexta-feira o governo alemão apresenta um ambicioso pacote de medidas de proteção ao meio ambiente para reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

O objetivo é alcançar o compromisso assumido pela Alemanha de reduzir até o ano de 2030 as emissões de CO2 em 55%. E, para isso, o governo apresenta um pacote de investimentos da ordem de mais de € 40 bilhões até 2023.

Entre as medidas previstas estão subsídios para produção de energia verde, além de incentivos para as áreas de transportes, habitação e investimentos em agricultura sustentável. Também se fala em proibir o aquecimento com diesel a partir de 2030.

Estão em discussão sobretaxação de viagens aéreas, redução de preços de viagens de trem e investimentos em infraestrutura de transportes públicos menos poluentes

Alemanha: autor de ataque contra sinagoga afirma ter sido motivado por ideias de extrema direita

Briga por processo de impeachment pode fortalecer a reeleição de Trump

Postura instável de Trump no norte da Síria ameaça futuro de curdos e pode fortalecer grupo EI

Papa Francisco condena "proselitismo religioso que força conversões" na Amazônia

Com coalizão "Geringonça", socialista António Costa desponta como vencedor do pleito em Portugal

Assassinato de jornalista saudita completa um ano sem punição e sem corpo

Manifestante é ferido a tiros em Hong Kong em protesto contra festa da China comunista

Catedral de Manaus celebra missa para religiosos que irão ao Sínodo do Vaticano

Maioria no Senado americano, republicanos não temem ameaça de impeachment

Derrubada de vetos de Bolsonaro à Lei de Abuso de Autoridade fortalece Congresso, diz presidente do Senado

Secretário-geral da ONU nega ter vetado Brasil e outros países na Cúpula do Clima

Escolha de Christine Lagarde para comando do Banco Central Europeu é polêmica

Após meses de atrito, Macron vai à Roma tentar reaproximação com a Itália