rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Brasil Compras Economia França Transporte

Publicado em • Modificado em

Michelin vai comprar brasileira Sascar

media
Companhia francesa quer ampliar presença no mercado latino-americano. Flickr/onesevenone

A fabricante francesa de pneus Michelin anunciou nesta segunda-feira (9) a intenção de comprar, por € 440 milhões (R$ 1,3 bilhão), a empresa brasileira Sascar, especializada na gestão pela internet de frotas de caminhões.


Com a aquisição, a Michelin pretende aumentar as vendas de serviços e pneus no mercado brasileiro, onde quase todo o tráfego de mercadorias acontece por estradas. Além disso, a Michelin deseja duplicar os resultados da futura filial internacional, em particular no comércio com outros países da América Latina.

"A Michelin se beneficiará da base de clientes e de concorrência desenvolvidas pela Sascar em um mercado em rápido crescimento para frotas profissionais de caminhões e vai poder, assim, acelerar o desenvolvimento de suas atividades no mundo inteiro", afirmou o presidente do grupo, Jean-Dominique Senard,e m Paris. "Isto nos permitirá reforçar um importante eixo de crescimento para o grupo", completou Senard.

A Sascar tem uma forte presença no mercado dos pequenos transportadores independentes, que têm papel essencial no transporte de mercadorias no Brasil. A empresa tem 33.000 frotas de empresas e 190.000 caminhões.

Negócio promissor

Com 870 funcionários, a Sascar de São Paulo gerou no ano passado um volume de negócios de € 91 milhões (R$ 278 milhões). Nos últimos três anos, a empresa registrou crescimento médio da atividade de 16% ao ano, segundo a Michelin.

Além dos € 440 milhões do preço da compra, a Michelin assumirá a dívida de € 80 milhões (R$ 245 milhões), o que eleva o valor da Sacar a € 520 milhões (R$ 1,6 bilhão). O preço final ainda está sendo negociado, segundo a empresa.

Em uma apresentação a investidores, a Michelin afirmou que a Sascar é a líder no mercado de gerenciamento de frotas no Brasil, com participação de 23%.